Ives Gandra Martins Filho, cotado para entrar na vaga aberta do STF, acha que mulher deve obedecer o marido

O  presidente do TST (Tribunal Superior do Trabalho), Ives Gandra Martins Filho, cotado para assumir a vaga do ex-ministro do STF, Teori Zavaski, virou o foco de uma polêmica ao publicar um artigo onde afirma que "a mulher deve obedecer e ser submissa ao marido.” e que “o casamento de dois homens ou duas mulheres é tão antinatural quanto uma mulher casar com um cachorro”, entre outras posições polêmicas.

Mas o ministro do TST não é tão radical assim, ele destaca que “indivíduos de orientação heterossexual e homossexual possuem a mesma dignidade perante a lei” e que a opção dos homossexuais deve ser respeitada. Ives Gandra Filho participou da reforma trabalhista proposta pelo presidente Temer, a qual recebeu inúmeras críticas dos sindicatos.