Insegurança pública nas delegacias da Capital e Região Metropolitana preocupa a Ugeirm

Nem mesmo as delegacias de polícia estão a salvo da insegurança pública que tomou conta do Estado. Com carceragens superlotadas, os policiais reduziram o atendimento ao público e temem por fugas, rebeliões de presos ou tentativas de resgates desses marginais por parte das quadrilhas que tomaram conta do Rio Grande do Sul.

O alerta já foi dado ontem pela Ugeirm Sindicato, que representa a categoria. Entretanto, até o momento, nada foi feito, conforme alertou o vice-presidente da entidade, Fábio Castro. Ele cita que diversas tentativas de fuga de presos já  aconteceram e desse jeito pode acontecer o pior. “Celas não são presídios”, enfatizou ele, ao destacar que as condições de permanência nas celas das delegacias são precárias e carentes de higiene e alimentação.  O secretário de Segurança Pública, Cezar Schirmer, anunciou que o primeiro prédio da Central de Triagem de Porto Alegre, com 84 vagas, no bairro Partenon, ficará pronto antes de 15 de fevereiro, mas Castro enfatiza que essa Central de Triagem já será inaugurada lotada e o problema continuará nas carceragens da Polícia Civil.

4 comentários:

Unknown disse...

Cala a boca pelego!!!

Anônimo disse...



Faz tempo que os sindicatos estão alertando sobre este perigo.

Mas enquanto não der uma merda bem grande, o governo do Polenta não vai tomar providencias e continuará empurrando com a barriga.

Anônimo disse...

Nem esse governo, nem o anterior se importou com os presos. Agora pagarão a conta pela falta que a Educação fez a eles. Nós últimos 14 anos nenhum recurso foi investido na educação. Não sobrou dinheiro para esse investimento. " Educai as crianças e não precisarás punir os homens ".

Anônimo disse...

Até os policiais tem medo da bandidagem?
Para que servem então?