Governo federal recua e estuda restringir saques do FGTS de contas inativas

Após anunciar, com alarde, que iria permitir aos trabalhadores sacarem cerca de R$ 30 bilhões do FGTS mantidos em contas inativas desde 2015, o governo federal recuou e agora estuda criar mecanismos para que a liberação dos recursos seja feita.

Técnicos do governo, que naquela oportunidade, imaginavam que seria uma boa maneira de estimular o consumo, agora acreditam que boa parte dos trabalhadores iria apenas transferir os recursos do Fundo para aplicações financeiras mais vantajosas.