FBI prende ex-diretor da Volkswagen. Fraudes poderão expurgar alemães dos EUA.

O FBI prendeu um executivo da Volkswagen por acusação de conspiração para fraudar os Estados Unidos, segundo reportagem publicada nesta segunda-feira pelo jornal New York Times.

Oliver Schmidt, que comandou o departamento de compliance regulatório da empresa nos EUA entre 2014 e março de 2015, foi preso neste sábado por investigadores federais norte-americanos na Flórida, de acordo com o jornal.

Mais prisões são esperadas.

A Volkswagen poderá ser proibida de operar nos Estados Unidos.

10 comentários:

Anônimo disse...


Tudo bem, esse executivo poderá vir para a Volkswagen do Brasil.

Basta se filiar ao PSDB que estará blindado!

Anônimo disse...

http://www.infomoney.com.br/mercados/politica/noticia/5997545/esposa-deputado-mensalao-pede-asilo-nos-eua-diz-ter-dossie

sao paulo disse...

kkkk, olha só polibio esta GM nao vale nada, apoiaram o merda desse criolo babaca e ganharam bilhoes do governo americano em 2008, agora apoiaram a hillarya e se fuderam, agora na apagar das luzes estao influenciando o Obamerda pra fazer esta palhaçada contra a VW,

Anônimo disse...

Privatizem a VW!

Anônimo disse...

Olha o racismo no blog nos comentários.
Sr. Sao Paulo (das 10:02) tenha em primeiro lugar educação e respeito pois seus comentários são realmente de baixo nível.

Anônimo disse...


Se ele tivesse trabalhado na Odebrecht, teria know-how.

Anônimo disse...

Petistas como o leitor acefalo 09:50 ainda associam corrupcao aos outros e nao ao proprio PT.

O esquerdismo e' sim uma doenca mental, impressionante. Ainda idolatram Lulla o maior ladrao que o ocidente ja produziu.

AHT disse...

Difícil de acreditar que tenham ocorrido ações delaituosas que provocaram essa acusação e prisão feita pelo FBI (Federal Bureau Imperialist)! hehehe... (Laughter Is the Best Medicine!)

Pensando bem, rebuscando outros acontecimentos e fatos do passado...

Que tal uma pitada de ficção nessa notícia?
Ein Bürger der Paradies-Bier und Wurst emigrou-se para a Cabralpropilândia,onde tudo se adubando rende. Logo que chegou em sua nova terra, os locais começaram a chama-lo de "Ó de bréche", porque logo associaram o sobrenome do imigrante à sonora "Óxente bichim". Acontece que Ó de bréche" não resistiu à tentação e num instantinho pegou o pulo do gato, foi aperfeiçoando e até que o know-how de adubar as mãos de governantes rendia, em média, um retorno de 4 X 1. Altamente confiantes, seus descendentes se lançaram a empreitadas para além-mar, e até que o seu desenvolvido e potente viru$ chegou à terra natal do avô, lá na europeia Ein Bürger der Paradies-Bier und Wurst, onde foi perfeitamente compreendido e serviu para atualizar procedimentos até então utilizados.

De volta à realidade

Dá para acreditar que Paradise Bier und Wurst sempre foi exemplo de conduta irrepreensível em valores éticos e morais?

É só pesquisar no Google sobre o genocídio dos hererós e namaquas ocorrido entre 1904 e 1907, durante a partilha da África. Genocídio e Corrupção andam j de mãos dadas.

Paradies-Bier und Wurst são tão criticáveis quanto The Federal Bureau Imperialist I Country. É briga de cachorros grandes e os vira-latas arcam com as onerosas consequências.

Anônimo disse...

Anônimo das 09:50, aqui tudo passa pelo Lula, o velho e bom companheiro da Volkswagen desde os anos 70.

Examine a história antes de dizer besteiras partidárias.


Anônimo disse...

As outras montadoras tem medo da VW, a maior nos outros 2 maiores mercados (Europa e China). O único mercado relevante que a alemã não manda são os EUA. Se der certo nos EUA (já preparou uma nova safra de SUV's ao gosto americano) vai ter uma posição dominante no mercado automobilístico mundial - hoje já é a que mais vende e lucra, na frente da Toyota.