segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Artigo, Fernão Lara Mesquita, Estadão - Os indemissíveis não estão nem aí

No estado nacional todos trabalham para se locupletar e os chefes, em geral aqueles que tiveram maior sucesso nisso ao longo da carreira, cooptam todos os que são flagrados jogando contra a Nação. A grande novidade deste ultimo meio milênio é haver quem, do lado de dentro da lei, esteja exigindo o cumprimento dela. Mas todos os demais lhes resistem como sempre…

(...).

A dimensão psicológica do problema brasileiro tornou-se maior que a sua causa original. Apesar da obviedade de tudo isso, apesar de cada brasileiro conhecer pessoalmente tipos como os que o parasitam e a obscenidade do resultado que colhem comparado ao que ele próprio consegue suando, você pode ficar o dia inteiro na frente da TV, ler todos os jornais, ouvir todos os “especialistas” e, à altura ja da centésima quinquagésima morte por esquartejamento em 18 dias, do sexagésimo milésimo assassinato dos ultimos 12 meses, do décimo segundo milionésimo emprego perdido e do terceiro aniversário da morte da economia nacional, não ver a óbvia, a ululante causa original de tudo isso ser apontada uma única vez como tal. Os tres poderes, para cujos titulares até as prisões são “especiais”, podem continuar folgadamente falando apenas de si mesmos. E o quarto, que renunciou à condição de “player” ao deixar de propor e expor soluções, vai a reboque num “lero” infindavel sobre o nada; sobre modos “progressistas” ou “conservadores” de se fazer as coisas que são luxos de gente que já se libertou e ficou rica.

(...)

Enquanto for assim vamos como vamos: compra um carro blindado, quem pode mais, uma arma, quem pode menos, e segue-se em frente roubando ou sendo roubado, despedaçando ou sendo despedaçado.

CLIQUE AQUI para ler tudo.

4 comentários:

Anônimo disse...

A Extinção das fundações esta sendo aguardada por todos os gaúchos, o prazo já esta correndo..............e não se viu nada ainda........

Anônimo disse...

Vivemos nos tempos da Monarquia e Escravos:

A Monarquia é representada por Políticos e Corporações, os Escravos representado pela população da iniciativa privada.
O modus operandi da Monarquia é se servir, através da auto concessão de regalias e privilégios disfarçada por leis que
eles dizem legais, mas são imorais e afrontam qualquer justiça social, obrigando os Escravos da iniciativa privada trabalharem
06 meses do ano para manter a Monarquia, sim ,pois todos os impostos servem basicamente para salários da Monarquia.

Os serviços que a Monarquia tem obrigação de devolver a população é de péssima qualidade a décadas, entra ano sai ano
nossas mazelas continuam as mesmas, na Saúde , Educação, Segurança e Infraestrutura, o único que se mantem em
alta constante é o custo da Monarquia..

A Monarquia atua diariamente nos 03 Poderes (Legislativo/ Executivo e Judiciário) para suprir seus devaneios financeiros,
sem pudor ,vergonha ou remorso, a eles tudo é permitido, tudo é amparado em ditas leis e privilégios adquiridos....
Portanto crise, crise existe somente para quem vive na Iniciativa Privada.
(milhões de desempregados ?, miséria, sofrimento, INSS segundo eles está falido???? tudo isso passa muito longe da Monarquia

Anônimo disse...

É exatamente o que o Trump falou; chega dos políticos enriquecerem, chega do cinturão da ferrugem (fabricas fechadas e desemprego), chega da mídia do politicamente correto, agora é a vez da America (do povo americano), chega de gastar para ajudar militarmente e com ajudas os outros países, primeiro a America.

Joel

Unknown disse...

Brasil, uma Republiqueta dos Marajás... o resto é escravo!!!