Temer avisa que não transigirá nas contrapartidas dos Estados

Mesmo após ter sido derrotado na Câmara, com a aprovação pelos deputados da renegociação das dívidas estaduais sem exigências do governo, Michel Temer afirmou que a União vai, sim, cobrar as contrapartidas para aprovar o pacote de socorro aos estados em situação financeira delicada.

O que disse o presidente:

- Hoje ainda a Câmara Federal aprovou um projeto, e lá havia (...) estas contrapartidas que foram retiradas, embora se mantivesse a tese e o preceito da recuperação fiscal, mas isso não significa que a União, quando firmar o contrato com os estados, não irá exigir estas contrapartidas. Elas serão indispensáveis para que se viabilize a recuperação fiscal prevista na lei que hoje foi aprovada.

Para receber o benefício, cada governador terá que renegociar contratos diretamente com o ministro da Fazenda, que não transigirá.

6 comentários:

Mordaz disse...

É a irresponsabilidade dos nossos falsos representantes querendo sempre descer mais e mais. A Grécia é aqui.

Anônimo disse...



Este nanico que não se meta a besta, exigindo o fim das garantias do funcionalismo gaúcho.
Ele não passa de um safado, e isto que nem todas as delações vieram à tona.

elias disse...

KKKKKKKKKKKKK
Pelo que vejo nos comentários da quadrilha, querem mesmo só regalias e sombra fresca.
Poupar, gerenciar o dinheiro do povo, não é prioridade.
Só pensam em seus salários e mordomias - mais aposentadorias integrais e polpudas.
Trabalhar - só pra louco!

Anônimo disse...

Os políticos que estão muito preocupados com o povo são os que começam a aparecer na delação da Odebrecht. Estas reformas são um engodo para alguns receberem milhões dos planos de previdência privada.

Anônimo disse...

Cada vez mais me convenço que a verdadeira luta se trava entre os que se nutrem do Estado (as corporações e seus privilégios), e os que o sustentam (o cidadão sem voz). Passo e aceitar e entender justificável a tese de que o Estado e as corporações são meus inimigos, e nesta situação, devo usar de todos os meios possíveis, EM LEGÍTIMA DEFESA.

Anônimo disse...


Se os representantes do povo, inclusive da base aliada e do próprio governo, rechaçaram as propostas do Temer, por qual motivo então nanico insiste no seu projeto que não foi aceito?
Quer empurrar goela abaixo e de qualquer jeito a sua vontade?
Ou os verdadeiros donos do poder, estão cobrando as suas "doações de campanha"?