quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

STF decide, agora, se STJ julgará governador Fernando Pimentel

CLIQUE AQUI para saber o que é a Operação Acrônimo.

O ministro Edson Fachin, STF, votou como relator e decidiu esta manhã que o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, PT, está sujeito unicamente ao julgamento em curso no STJ. A votação prosseguia as 11h10min. Todos os ministros do STF votarão.

Fernando Pimentel foi ministro de Dilma.

No RS, quando jovem, 17 anos, ele participou da tentativa de sequestro do cônsul americano Curtis Cutter, ferido a bala no atentado. CLIQUE AQUI para saber tudo sobre o ato de terrorismo praticado em Porto Alegre.

Como petista e ministro do PT, Pimentel envolveu-se em grossas patifarias e roubalheiras.

O STJ examina pedido de prisão contra o petista, tudo no âmbito da Operação Acrônimo. A Corte, no entanto, atendeu demanda dos advogados de Fernando Pimentel, que alegaram ser privativo da Assembléia de Minas o julgamento do governador. A Assembléia, controlada pelo Palácio das Esmeraldas, não se move.

Com a decisão do STF, caso aconteça hoje, poderá sair prisão a qualquer momento.

Se Fernando Pimentel for preso pela PF, ele levará junto a mulher.

A informação é do blog O Antagonista de hoje.

11 comentários:

Unknown disse...

Teori teve 'pobrema nozóio'!!!
Guardião da Impunidade!!!

Anônimo disse...

CULTURA BRASILEIRA!
-Levar vantagem em tudo sobre o outro ou outros;
-Se possível escravizar o outro ou outros;
Some a estes dois itens e acrescente o SISTEMA elaborado por Antonio GRAMSIS para implante do socialismo.

Anônimo disse...

Meu Caro, Exercício do absurdo - vacilação e remora da Toga - sob a roupagem do tratamento - reprovávelremora sobre o óbvio - científico. Uma absurdidade que não contribui para a estabilidade da Jurisdição. Dispensada a nossa "ignorância" (refoge fato novo, o Direito é todo sabido e ressabido). O Direito é... Inté!

Anônimo disse...

Impressionante ver que TODO PETISTA é ou foi bandido e que sempre está enrolado em roubo. São a escória brasileira. Expurgo do PT. Sua extinção tem que ocorrer para o bem do Brasil.

Anônimo disse...

E ainda está solto? Bem experimente em arma de fogo, assalto a carro forte e sequestro. Um currículo e tanto para ser governador de Minas Gerais. Brasil país de tolos. Dilma cavou a sua própria derrota na escolha dos seus Ministros. Se existe alguém culpado pelo seu Impeachment foram seus próprios Ministros.

Anônimo disse...

este bandido petralha e a mulher nariguda ja deveriam estar é na jaula

Anônimo disse...

NO BOLSO DA ODEBRECHT, MOREIRA FRANCO SE PREPARA PARA DEIXAR O GOVERNO:

Antonio Cruz/ Agência Brasil
Secretário-executivo do Programa de Parcerias de Investimentos e um dos auxiliares mais próximos de Michel Temer está prestes a deixar o governo; segundo a agência Reuters, Moreira Franco, identificado nas delações da Odebrecht como "Angorá", já estaria com a carta de demissão pronta, mas ainda não a apresentou a Temer; em delação premiada, o ex-executivo Claudio Melo Filho disse que tratou com Moreira Franco sobre negócios da Odebrecht na área de aeroportos; ministro teria solicitado a ele "um apoio de contribuição financeira, mas transferiu a responsabilidade pelo recebimento do apoio financeiro para Eliseu Padilha"; saída de Franco seria a sétima baixa no primeiro escalão do governo Temer em sete meses.

14 DE DEZEMBRO DE 2016

247 com Reuters - O secretário-executivo do Programa de Parcerias de Investimentos, Moreira Franco, está com a carta de demissão pronta, mas ainda não a apresentou ao presidente Michel Temer, disse uma fonte do governo.

Moreira Franco, citado em delação de ex-diretor de Relações Institucionais da Odebrecht, no âmbito da operação Lava Jato, é um dos líderes do PMDB mais próximos a Temer. Segundo a fonte, que pediu anonimato, a decisão de sair seria para não prejudicar o governo.

Em sua delação premiada à força-tarefa da Lava Jato, o ex-diretor da Odebrecht Cláudio Melo Filho afirmou que tratou com Moreira Franco sobre negócios da empreiteira na área de aeroportos. Moreira é atual secretário executivo do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) do governo Temer.

O delator relata pedidos da empreiteira e "pressão" por parte do peemedebista, que também é linha de frente de Temer. "Em algumas oportunidades me reuni com Moreira Franco para tratar sobre temas afetos à aviação civil. Moreira Franco é um político habilidoso e se movimenta muito bem nas ações com seus pares. Acredito que há uma interação orquestrada entre ele e Eliseu Padilha (ministro da Casa Civil) para captação de recursos para o seu grupo do PMDB", diz Cláudio Melo.

Segundo o delator, Moreira Franco era identificado nas planilhas da propina com o codinome "Angorá". O ministro teria solicitado a ele "um apoio de contribuição financeira, mas transferiu a responsabilidade pelo recebimento do apoio financeiro para Eliseu Padilha".

Os 77 delatores da Odebrecht começam a prestar depoimentos para a força-tarefa nesta segunda-feira, 12. O delator listou em seu anexo da colaboração (documento em que ele apresenta os temas que poderá falar no acordo) seis ocasiões em que tratou assuntos relacionados a aeroportos.

ESSE É UM DOS PIVO do traíra ter traido a Dilma porque foi demitido, fato que levou traíra trair a Dilma.

Anônimo disse...

Caro Políbio
Desisto. O supremo aí está pra proteger os políticos criminosos A mulher do Pimentel, além de bandida é um exemplo de cafonália jamais visto e está a fazer jus ao marido, super cafona também.
Esther

Anônimo disse...

De "Robin Wood" dos pobres a Ladrão de dinheiro público, do povo. Trajetória "gloriosa".!!!

Anônimo disse...

Veremos se há "rabuspresus" ou se ainda há alguma esperança para um Brasil decente! Uma vez terrorista, sempre bandido!

Anônimo disse...

vejam a diferença entre o tratamento dado pelo editor ao Pimentel e ao ministro quadrilha.....como jornalista és um ótimo baba ovo de PMDbistas larápios..." o ministro quadrilha vai se licenciar para tratar de doenças"....kkkkkk