Sartori autoriza retorno de 500 brigadianos à ativa

O governador José Ivo Sartori sancionou nesta terça-feira, lei que reforça o efetivo da Brigada Militar. A medida havia sido anunciada no conjunto de iniciativas do Plano Estadual de Segurança Pública, foi aprovada pela Assembleia e agora é lei.

No Estado, existe o Corpo de Voluntários Inativos da Brigada Militar (CVMI), que garante uma gratificação àqueles já aposentados para atuarem exclusivamente junto à Secretaria da Segurança Pública e Brigada Militar. Para incentivar esse retorno, o governo propôs o aumento do valor da gratificação especial de retorno à atividade dos atuais R$ 1.181,51 para R$ 2,4 mil a partir de dezembro.

Com a medida, a expectativa é de que até 500 servidores possam retomar os serviços da ativa, prioritariamente em videomonitoramento e patrulha escolar.

5 comentários:

Anônimo disse...

Boa graninha (dois e meio salário mínimos nacional em janeiro) para voltar ao trabalho. Mas o Gringo tem de pagar e não dar adiantamentos todo o mês.

Anônimo disse...

Muito Bom Sartóri sua medida de trazer os PMS aposentados. Eles têm a experiência e será muito bom para todos. A população precisa de paz para viver e trabalhar.

Anônimo disse...

AGORA SÓ FALTA OS POLÍTICOS E O JUDICIÁRIO COMEÇAREM A TRABALHAR.
VAI SER IMPOSSÍVEL COM 2 MESES DE RECESSO, DEZEMBRO E JANEIRO E DEPOIS FÉRIAS.
O JUDICIÁRIO É A INSTITUIÇÃO MAIS INJUSTA DO BRASIL.
É SÓ RECESSO E FÉRIAS, E NÃO JULGAM NADA.
É SÓ VER O GENOCÍDIO DE SANTA MARIA, NÃO JULGARAM E NEM VÃO JULGAR.

Anônimo disse...

Bom.

Anônimo disse...


O Polenta é um cara safado mesmo, primeiro acenou com aumento do tempo de serviço, não realização de concursos internos e promoções, com isto a brigadianada que tinha tempo para ir embora não pensou duas vezes e mais de 3.000 se aposentaram. Causando um grande claro no efetivo da BM, agora em uma jogada de marketing politico, o Polenta anuncia a abertura de 500 vagas para recontratar os brigadianos aposentados.
Não é preciso ser um gênio em matemática para perceber que algo está errado.