quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

São Paulo começou a licitar concessões de rodovias e aeroportos. E o RS ?

Uma das novidades é que 50% da outorga será paga na assinatura do contrato.

O governo de São Paulo prepara-se para licitar concessões de rodovias, aeroportos regionais e linhas de ônibus intermunicipais de passageiros, pacote de projetos que representam mais de R$ 10 bilhões em investimentos. Pelo menos 5 aeroportos regionais serão concedidos.

No RS, nem se ouve falar em concessões.

Em rodovias, em SP, a expectativa é de licitar quatro trechos, somando 1,67 mil km. O primeiro edital foi lançado no mês passado. São 570 km. O leilão sairá em fevereiro ou março. O segundo trecho, que sairá este mês, será o da rodovia dos Calçados, 747 km.

O governo paulista mandou gente para Nova Iorque, mês passado, para apresentar os projetos para investidores.

10 comentários:

Anônimo disse...

É que no RS está tudo às mil maravilhas. Dinheiro saindo pelo ladrão, funcionalismo satisfeitíssimo e tudo andando como deve ser. Para quê urgência? Afinal, estamos em época de festas de final de ano; depois vem as férias e o carnaval. Isso aí que o editor mencionou, pode esperar... Êta gauchada politizada sô.

Anônimo disse...

Os socialistas daqui querem estradas e veículos a propulsão humana ou animal, para os gaudérios que já vão a praia de a cavalo pilchados.


Unknown disse...

Somos rabo-de-vaca... último vagão... são SP é a locomotiva!!!

Anônimo disse...

A primeira etapa o Sartori já está fazendo que é deixar esburacar ao máximo as estradas para irritar ao máximo os motoristas.
Aí todos vão concluir que é melhor pagar pedágio do que destruir os automóveis.
Depois, nós pagamos IPVA e Pedágio
Viva o Sartori
Viva o PMDB

Anônimo disse...

E aqui ainda tem um detalhe....
Vai chegar o momento que não vai ter jeito.
Vai precisar conceder e ponto final.
Ai... Vão licitar e conceder.
Mas um dia... Mais cedo ou mais...
As coisas acabam melhorando.
E antes, o que foi a solução possível e que acabou salvando as rodovias baquele momento de muitas dificuldades, começará a ser olhado com outros olhos, pois alguém estará ganhando dinheiro com as rodovias dos gauchinhos que acharão que já não precisam mais destes, antes investidores bem-vindos, agora exploradores do Povo Sul-rio-grandense. E isso não pode. Então...
Imprensa e políticos se juntarão - mentindo e inventando toda sorte de falsos argumentos - e farão da vida destes empresários e seus colaboradores um inferno até que consigam encerrar os contratos. E assim o ciclo estupido e perveso se perpetuará, pois somos gaúchos, povo de grandes façanhas sobre a terra.

Anônimo disse...

LICITAÇÃO É TUDO OS QUE AS MÁFIAS QUEREM PARA VIR DOMINAR POR AKI...vide o que a lava jato demonstrou...mas tem gente que não aprende, né?

Anônimo disse...

Agora os gaúchos só pensam na praia, o resto fica para depois, já que são assuntos de menor importância . Se tiver cerveja abundante, nada mais importa. Para o gaúcho bastam as glórias farroupilhas para manter a autoestima em alta.

Anônimo disse...

Mas então vamos entregar tudo para a EGR estradas, portos, aeroportos, cancha reta ....... A fórmula é o estado máximo !!!! Talvez falte dinheiro. Mas primeiro temos que reclamar bastante e não dar nenhuma alternativa viável , ser contra porque sim para ao final dizer que não concorda . E um viva ao Rio Grande.

Anônimo disse...

Tem licitações de São Paulo que terão em torno de 25% de redução nos pedagios para quem circular a noite e de 19% para quem circular durante o dia, são concessões que já estão vencendo os 25 anos e que na renovação não será necessário de investimentos pesados como nas primeiras licitações, os investimentos serão de manutenção e obras de menor porte.Não é a toa que das 20 melhores Estradas do Brasil, 19 estão em São Paulo.

Anônimo disse...


Viva o Polenta, que não faz nada além de parcelar salários, agora vai atrasar o 13° do funcionalismo e tudo bem.
Está a mais de dois anos chorando que não tem dinheiro, mas não faz nada para mudar a situação, quanto as licitações estas estão sendo adiadas até que os amigos dele saiam da cadeia.