PT passa a presidir o Senado e o Congresso e pode barrar PEC do Teto dos Gastos Públicos

O senador Jorge Viana, PT, primeiro vice-presidente do Senado, assumirá imediatamente o cargo de presidente do Senado, colocando-se como o terceiro na linha de sucessão de Temer.

Viana assume devido ao afastamento de Renan Calheiros.

O presidente do Senado é automaticamente presidente também do Congresso, que é a reunião de Câmara e Senado.

Viana poderá tentar barrar as próximas votações da PEC 55.

17 comentários:

sempre mais disse...

Também está sujo.

Anônimo disse...

Se passar a agir como petralha não dura yma semana no cargi. Bastalembrar do boboca que sentou na cadeira da presidencia da camara, ou bigodudo atrapalhado.

Anônimo disse...

Ele não é louco de tentar barrar!

Anônimo disse...

SOCORRO ! Sai RENAN e entra VIANA, do PT. DO PT !!! SOCORRO.!!!

Anônimo disse...

Será uma voz isolada. A maioria dos Senadores sabem Sá necessidade da aprovação e controles de gastos para retomar o crescimento. Será voto vencido.

Anônimo disse...

Será uma voz isolada. A maioria dos Senadores sabem Sá necessidade da aprovação e controles de gastos para retomar o crescimento. Será voto vencido.

Anônimo disse...

Está com cheiro de feijão queimado.

Anônimo disse...

Tá na hora do senado primeiro arrumar a casa e depois votar projetos.

Anônimo disse...

E PODE SER QUE DENTRO EM POUCO NÃO POSSAM MAIS VOTAR NADA POR FALTA DE 'SENADORES' QUASE TODOS INVESTIGADOS.

Alberto disse...

VIVA O BRASIL!!!

Anônimo disse...

Tenta para ele ver o que vai acontecer. O povo vai para as ruas de novo. Aliás, o PT já deveria estar extinto há tempo.

Dr. FAÇANHA disse...

A presidência petista do Senado, pode significar um impulso forte para a aprovação das Dez Medidas Contra a Corrupção, remetidas pela Câmara.

Anônimo disse...

BLOG DO JORNALISTA POLIBIO BRAGA....


5 mil gritam "Fora Renan", defendem a Lava Jato e evitam "Fora Temer" em Porto Alegre

Pelo menos 5 mil pessoas ocuparam as duas pistas da avenida Goethe, no trecho entre as ruas Mostardeiro e 24 de outubro, todas elas protestando contra as maiorias da Câmara e do Senado que se colocaram ao lado da corrupção, conforme ficou demonstrado na votação de quarta-feira de madrugada, quando foi aprovada a Lei da Intimidação. É número suficiente para o primeiro ato público de rua, chamado durante o governo Temer para aprofundar as consignas de 2014 e o clamor pelo impeachment de Dilma Roussef. Em Porto Alegre, o centro nervoso da concentração do Parcão, onde saiu o evento, foi um caminhão de som do MBL, desaparecido dos demais Estados. As consignas desta tarde foram gritos de guerra contra os corruptos mais conhecidos, com ênfase para Renan Calheiros, Lula e Dilma. O apoio à Lava Jato e sobretudo ao juiz Sérgio Moro, pautou os discursos, cartazes e gritos da multidão. Um grupo poderoso de gente do Ministério Público, todos de preto, marcaram presença diante do caminhão de som. Ninguém gritou Fora Temer. Os manifestantes deixaram claro que o problema principal não é o presidente Temer, de quem se espera mais.

Os líderes do MBL, que há apenas um mês apoiaram valentemente a eleição do prefeito Marchezan Júnior, não quiseram ler os nomes dos deputados que votaram com os corruptos, entre os quais o próprio tucano, que é deputado federal. Em outras cidades, a lista dos votantes foi exibida para conhecimento dos manifestantes.

O ato público de Porto Alegre começou as 15h e terminou as 17h.

TEM OUTRO POST NO BLOG, onde o editor aparece. Então se o editor estava no Protesto, por analogia também gritou "fora Renan", ora o Ministro do STF MARCO AURÉLIO apenas "ouviu" as vozes da Rua? Ou é mentira?

AGORA O SENADO está em boas mãos do PT, Senador Jorge Viana que não responde e nem é indiciado em processo no STF. Vai botar ordem na casa.

Anônimo disse...

JUSTIÇA BLOQUEIA R$ 38 MI DE BRAÇO DIREITO DE TEMER:

Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O juiz Leonardo de Araújo Costa Timiati determinou o bloqueio de R$ 108 milhões em bens do ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, e de mais cinco sócios dele em duas fazendas localizadas no Parque Estadual Serra Ricardo Franco, em Vila Bela da Santíssima Trindade, a 562 km de Cuiabá, por degradação ambiental; os montantes bloqueados devem servir para a recuperação das áreas degradadas; a Secretaria Estadual de Meio Ambiente do Mato Grosso identificou o desmate irregular de 82,75 hectares na Fazenda Paredão, sem autorização ou licença ambiental; já na Fazenda Cachoeira foi constatado o desmatamento irregular de 735 hectares na área rural, sem autorização ou licença expedida pela secretaria.

5 DE DEZEMBRO DE 2016

247 - O juiz Leonardo de Araújo Costa Timiati determinou o bloqueio de R$ 108 milhões em bens do ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, e de mais cinco sócios dele em duas fazendas localizadas no Parque Estadual Serra Ricardo Franco, em Vila Bela da Santíssima Trindade, a 562 km de Cuiabá, por degradação ambiental. As decisões foram dadas no dia 30 de novembro. Conforme o magistrado, os montantes bloqueados devem servir para a recuperação das áreas degradadas.

A Secretaria Estadual de Meio Ambiente do Mato Grosso identificou o desmate irregular de 82,75 hectares na Fazenda Paredão, sem autorização ou licença ambiental. Por causa dos danos, o magistrado mandou bloquear R$ 69.896.312,85 em bens do ministro e de outros seis sócios dele.

Já na Fazenda Cachoeira foi constatado o desmatamento irregular de 735 hectares na área rural, sem autorização ou licença expedida pela secretaria, além do uso de ocupação do solo em desacordo com o Sistema Nacional de Unidade de Conservação (Snuc). Por causa da devastação, foi lavrado pela secretaria um auto de infração, segundo a decisão. Pelos danos ambientais causados nessa área, o juiz determinou o bloqueio de R$ R$ 38,2 milhões em bens do ministro e de outras quatro pessoas.

Na decisão consta que, conforme o Cadastro Ambiental Rural (CAR), Padilha e os outros são proprietários da Fazenda Cachoeira.

PADILHA É O próximo a ser traído pelo traira, três já dançaram: Cunha, Geddel e Renan.

Anônimo disse...

Qualquer gesto que estes políticos venham a fazer contra a população, vai fazer o Brasil virar de vez uma Síria.

Anônimo disse...

olha o mortadela com estes textos colados q cara xarope ninguem le estes seus lixos- caia fora n esqueça que estes ai sao do pmdb q estiveram anos e anos juntos com o pt no desgoverno agora que romperam, quem colocou o pmdb= o renan o temer o cunha lá foram voces do pt eram todos aliados e votavam com o pt na camara e no senado o pmdb era da base aliada de luladrao e dilmentira agora q romperam mas ainda tem muitos do pmdb q nao romperam e continuam apoiando o pt- como requiao, katia abreu, picciani ministro dos esportes, sarney, renan estes apoiam ate hoje o pt

Unknown disse...

PT não é uma ilha!!! O Senado já tem uma programação...