quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Petrobrás não desistiu do Polo Naval de Rio Grande

A Petrobrás confirmou hoje que no início de janeiro mandará um dos seus diretores a Rio Grande e Porto Alegre para amarrar seus planos no Polo Naval.

A estatal não desistiu do uso dos estaleiros da Ecovix, mas espera que outros controladores assumam e estabeleçam novos parâmetros de gestão.

Na virada do ano, assim que concluírem as votações do pacote de reestruturação e ajuste fiscal, o governo estadual vai tentar acelerar as decisões da Petrobrás, porque quer manter ativas as encomendas da estatal junto a duas mil empresas gaúchas que fornecem para plataformas de exploração do petróleo.

3 comentários:

Anônimo disse...

Se o polo naval, não estiver voltado TAMBÉM para exportação, terá vida curta.

Anônimo disse...

Hein? Quem? Como? Que papo furado, como irao tornar competitivo o polo? Quais medidas reais serao tomadas? Soh papo...

Cap Caverna disse...

O Polo Naval de Rio Grande, foi criado para lavagem de dinheiro e comprar votos dos trabalhadores, que sob a ameaça dos PaTifes, ganharam os votos da totalidade dos empregados no Polo, pois caso contrario o Polo fecharia. Agora o Polo fechou, e permanece somente equipes de manutenção e guardas, para cuidar do enorme patrimônio que lá dentro existe. São bilhões de reais em equipamentos, maquinas, prédios e chapas de aço e ferro, jogadas ao relento. Este Polo é inviável, devido ao custo Brasil e a qualidade sob suspeita dos serviços. Na China, eles fazem plataformas pela metade do preço, com uma qualidade melhor e dentro dos prazos. A desculpa de fazendo aqui gera empregos, cai por terra, pelo valor final do produto. Tudo feito, para enganar as pessoas e roubar, e nisso o PT e seus aliados, são imbatíveis. Foram embora, e deixaram a cidade de Rio Grande destruída e com centenas de comerciantes falidos, pelos calotes e investimentos mal feitos!