Para cada professor em atividade, governo gaúcho paga 1,5 em situação de aposentadoria

A jornalista Rosane Oliveira atualiza números que o editor já passou antes, inclusive no seu livro "Cabo de Guerra":

O governo Sartori gasta R$ 197,8 milhões por mês com professores em sala de aula, mas seus gastos com aposentados vai a R$ 298,2 milhões.

São números inaceitáveis.

Isto tudo se deve a aposentadorias precoces e ao privilégio ainda existente para aposentadorias de mulheres.

A reforma da previdência, em exame no Congresso, visa barrar distorções selvagens deste gênero, e que explicam por que razão governos como os do RS não conseguem pagar a Folha.

12 comentários:

Anônimo disse...

Pois é! As mulheres lutaram tanto para a igualdade entre sexo que agora ela virá a cavalo. Por viverem mais e pelo rombo na previdência a consequencia é que terão que trabalhar mais para se aposentar. Contra os fato há poucos argumentos! Essa é a realidade. Meus pêsames...

Anônimo disse...

Políbio,

O CORTE de 35%, com limitação ao TETO, das pensões deve ser adotado se o RGS quer ter futuro.

Não tem mágica. Não adianta espernear e bradar o tal "direito adquirido".

Faliu e agora é começar do ZERO.

O Sartori não é "homem"(no sentido universal) para conduzir o RGS por este duro caminho.

JulioK

Unknown disse...

ERRATA:
Onde consta "Atividade" leia-se "Paralisação"...

Mordaz disse...

Não tem aposentadorias precoces. Tem é leis mal feitas pelos políticos. Era só analisar com responsabilidade 35 anos atrás para saber o que resultaria. A praga do país chama-se políticos. Nos intervalos em que estão roubando estão fazendo leis mal feitas e demagógicas.

Anônimo disse...

Prezado polibio. Vai ser professor dando aula por 25 anos. Até você não aguentaria.

Anônimo disse...

O Sartori não é "homem"(no sentido universal) para conduzir o RGS por este duro caminho.(copiei do texto).

Fique bem claro que ele não é HOMEM em nenhum sentido.

E no caso dos professores em ZH e aqui, se não fossem os professores já mal pagos, o ESTADO seria formado de BURROS, mas alguns conseguem LER e Escrever graças aos professores, porém os BURROS é que são eleitos, porque basta se filiar a um partido político qualquer e sair falando ASNEIRA, esta que não paga impostos de baboseira eleitoral. Deveria ser crime prometer em campanha e depois não cumprir.

Anônimo disse...

A pergunta é: esses aposentados contribuíram para as respectivas aposentadorias?
Se contribuíram, chegou a hora de devolver-lhes o dinheiro tomado emprestado.
A propósito, o editor poderia publicar notícias sobre os investimentos feitos nesses anos todos para que agora haja dinheiro para pagar os proventos.
Se não contribuíram, está na hora de começar a contribuir.
E não venha com o conto da carochinha de que os contribuintes em atividade sustentam os inativos porque essa historinha é só uma maneira de desviar recursos do sistema previdenciário. Não cola mais.

Anônimo disse...

Quem não aguenta dar aulas por 25 anos, está no emprego errado. Vai ser engenheiro, que tem que entregar a obra pronta no prazo, médico que tem que curar o paciente, ao invés de professor, que dá sua aula e quem tem que aprender é o aluno, enquanto o professor, acabou o ano letivo, vai para as férias e não tem responsabilidade alguma se a "obra" caiu ou o "paciente" morreu. E ano que vem, basta o professor ter a difícil missão de repetir exatamente o que fez no ano anterior, ao invés do médico, engenheiro, mestre-de-obras, que a cada empreitada, a coisa é sempre bem diferente. Então, meu amigo, não ache que sua profissão de professor é dura. Não é mais dura que a da maioria, muito antes pelo contrário. Deviam era aposentar até mais tarde que as demais.

Anônimo disse...

Meu caro amigo Políbio: situação de aposentadoria? Aderiste ao sociologuês barato e gramsciano? Por que não apenas aposentados? Já não chega a vigarice de mendigo ser chamado de morador em situação de rua? E a outra mais safada ainda: favela agora é comunidade, como se a nova denominação apagasse a mesma miséria, a mesma falta de serviços públicos minimos, os gatos" na luz, na água, na net...

Anônimo disse...

Queria ver o nobre editor do site dando aula por 25 ou 30 anos e ganhando o salário dos professores estaduais em início de carreira. Precisa separar os professores que estão realmente em sala de aula dos professores que estão desviados para outras funções, inclusive alguns cedidos.

Anônimo disse...

Quantos meses de férias, licenças mil, greves etc fazem parte desses 25 anos
talvez não a 20

Gustavo disse...

197,8 com professores em aula..
essa é uma ótima notícia.. quer dizer que tem professor trabalhando!