Opinião do editor - Trensurb caminha rápido para a privatização.

A Trensurb é uma organização com organograma inchado.

A Trensurb, antes dos petistas assumirem, tinha 47 setores e 52 cargos com função gratificada.
Após assumirem, os petistas transformaram a empresa na “Casa da Mãe Joana”: aumentaram os setores para 51 (reduzindo os setores na área fim e aumentando na área meio) e 131 cargos com função gratificada.

Não contentes com este acréscimo absurdo, eles aumentaram os valores das funções gratificadas em mais de 100%, que antes variavam de R$ 942, 00 a R$ 6.118,00 e hoje varia de R$ 5.834,47 a R$ 20.264,12, sem contar o salário do felizardo.
Além disso, a empresa autorizou, ilegalmente, a incorporação de funções gratificadas ao salário dos gestores que foram exonerados.

Em 2003, a folha anual de pagamento de pessoal era de R$ 28.739.655,71, sendo que  em 2015 a folha subiu para  R$ 84.365.366,52, sem contar os encargos sociais e ações trabalhistas.

O que é espantoso, nesta história de terror, é que a atual direção não demonstrou até agora nenhum interesse em alterar este status quo, até porque continua sem a nomeação de 4 dos 5 titulares. 
É importante ressaltar, que com a aprovação da PEC 55, e se nenhuma providência for tomada, a Trensurb caminhará inevitavelmente para a privatização.