Opinião do editor - Saiba por que Judiciário, Legislativo, TCE e MPE terão que compartilhar o ajuste de Sartori

MPE, Judiciário, TCE e Assembléia, poderiam ter cortado o passo do governo irresponsável, incompetente de Tarso Genro, PT, mas não fizeram isto. Agora, serão obrigados a compartilhar com o Executivo problemas que eles não criaram. 

Ao lado, gráfico com o preço da irresponsabilidade fiscal: as chamas azuis são as dos governos Brito e Yeda. Os eleitores, mas depois o Legislativo, o PJ, o MPE e o TCU, não impediram as loucuras feitas pelo governo Tarso Genro e o PT.

A proposta do governo Sartori que mais opõe os interesses do Piratini aos interesses do PJ, MPE,TCE e Defensoria Pública é a PEC 260 2016, do Poder Executivo, que altera o artigo 156 da Constituição do Estado do estabelecendo que os recursos orçamentário (duodécimos) destinados ao Legislativo, ao Judiciário, ao Ministério Público, ao Tribunal de Contas e à Defensoria Pública deverão ser proporcionais à Receita Corrente Líquida efetivamente arrecadada pelo Executivo, limitados aos montantes previstos nas dotações orçamentárias.

Atualmente não é assim, porque os duodécimos são inalterados, não importa o valor arrecadado. 
Legislativo e Judiciário não têm responsabilidade alguma pela crise fiscal atual, tornada dramática pelo irresponsável governo Tarso Genro, PT, mas é impossível que estes Poderes prossigam recebendo valores imutáveis enquanto a casa pega fogo. Legislativo, Judiciário, TCE e MPE não aumentaram suas fatias, ao contrário do que se pode pensar,mas o Executivo fez isto de maneira intolerável, criminosa e dramática.

Acompanhe as fatias de cada um sobre o bolo total do Orçamento (entre parênteses, estão os números de 2006):

- Executivo, 92,04% (87,61%)
- Justiça, 4,79% (7,01%)
- MPE, 1,48% 2,53%)
- TCE, 0,76% (1,12%)
- Assembléia, 0,93% (1,48%).

CLIQUE AQUI para examinar a PEC.

10 comentários:

Anônimo disse...

A guerra dos bicos: Alckmin faz PSB partir para cima do PSDB:

FERNANDO BRITO;20/12/2016-O cafézinho


A pombinha que serve de símbolo ao PSB armou-se para a guerra contra o arranjo tucano que consolidou o acordo com Temer em troca do controle do PSDB por Aécio Neves e Fernando Henrique Cardoso, com o apoio de José Serra.

A entrevista de Márcio França, vice-governador e “capa preta” nacional” do PSB é, claramente, uma fala estimulada por Geraldo Alckmin, até porque não faria sentido um dirigente de um partido indispor-se, a este nível, com a decisão interna de outro.

Ao falar a O Globo, França não chama de golpe a recondução de Aécio ao comando tucano até 2018, chama-a “truque”.

Mas, em outros trechos, preocupa-se menos com a diplomacia:

(…)quem tem voto em São Paulo é o Alckmin. Os outros, têm prestígio. O (Alberto) Goldman, o Aloysio (Nunes), o FHC, o (José) Serra…

(..) se não escolherem o Alckmin não contarão com nosso apoio – do PSB e de outros partidos do nosso bloco…

E se alguém tem dúvidas de que o recado é de Geraldo Alckmin, Márcio França, respondendo a uma pergunta sobre ser o candidato estadual de Alckmin, deixa bem clara a sua motivação política ao dizer o que disse:

O que for melhor para o Alckmin, eu farei. Zero chance de fazer coisa qualquer que conflite com o interesse dele.

Anônimo disse...

Nessa CRISE braba como diria meu avô, o trágico ou cômico talvez é que o principal responsável está lá no Rio de Janeiro quietinho com sua aposentadoria imoral garantida... e para ajudá-lo ninguém nem ao menos faz alguma referência... Cada povo tem o governo que merece,,, nada mais elucidativo que essa afirmativa...

Anônimo disse...

Análise perfeita,Polibio! O TCE que só condena prefeitura s do interior também tem responsabilidades. Como é que aprovaram esse escândalo das contas do baixinho Tarso??

Unknown disse...

Dizer que a Folha Criativa que gera polpudos para o Judiciário não colaborou com a crise é bizarro!!!
Não se trata do legal sim do imoral!!!

Anônimo disse...

Políbio poderia colocar em rais quanto monta para cada setor?
Joel

Anônimo disse...


E as isenções fiscais?

9 bilhões são dados aos empresários riquíssimos, através de isenções fiscais.

2,5 bilhões é o deficit do RS, como podemos ver não é preciso ser um gênio em arrecadação fiscal ou direito tributário para ver que algo está errado.
É algo como entrar no limite do cheque-especial, para aplicar o dinheiro na poupança.
É um negócio que beneficia apenas parte dos envolvidos, ou seja, os políticos e empresários, ao povo sobram as contas à pagar.


Anônimo disse...



O governo mandou a PM atacar os servidores, o Dep. Marlon/PDT mandou passar a borracha e os cabeças de lata obedeceram.

Vejam como ficou esta Policial Civil;

https://www.facebook.com/ugeirm.sindicato/photos/a.597908610255883.1073741826.597905663589511/1268691419844262/?type=3

Anônimo disse...


Tá, mas então estes órgão estão se omitindo faz muito tempo, pois as contas estão no vermelho a anos, este quadro que o governo pinta não é só culpa do Tarso, onde estão Pedro Simon, Alceu Collares, Sinval Guazelli, Germano Rigotto, Olivio Dutra, Peracchi Barcelos, Euclides Triches, Amaral de Souza, Jair Soares, Se os dados do gráfico iniciam em 1971?
Ou não é interessante citar todos os governantes?

Anônimo disse...

O Judiciário já fez muita coisa, deixando o Atraso Genro e o Sassá Mutema sacarem milhões dos depósitos judiciais pra quitarem a folha de pagamento do Executivo e também pagarem o aumento escalonado que os servidores da área da segurança pública estarão recebendo até 2018. Mas isto o editor nunca enfatiza!

Anônimo disse...

Executivo, 92,04% (87,61%)

E TEM GENTE QUE NÃO ENTENDE O PORQUÊ DO EXECUTIVO SER O "ÚNICO A PAGAR A CONTA". CLARO ELE FICA COM A MAIOR PARTE DA ARRECADAÇÃO, MAS TEM A FOLHA DE PAGAMENTO MAIS NUMEROSA SE COMPARADA COM OS DEMAIS PODERES. É UMA INFINIDADE DE SERVIDORES, A MAIORIA INATIVOS. POR ISSO, NÃO SOBRA DINHEIRO (UM VERDADEIRO SACO SEM FUNDO). SÓ ALIENADO NÃO CHEGA A ESTA CONCLUSÃO!