Justiça do Trabalho pede explicações sobre demissões na TVE

Ao contrário do que sugere título de reportagem de hoje do Correio do Povo, as explicações pedidas pela Justiça do Trabalho não dizem respeito a todas as extinções de Fundações, mas apenas ao caso da TVE.

Assim é que a Fundação Cultural Piratini Rádio e Televisão terá um prazo de 24 horas para se manifestar sobre a decisão do juiz do Trabalho Gustavo Pusch, da 18ª Vara do Trabalho de Porto Alegre, que concedeu tutela de urgência para que o governo do Estado se manifeste em relação a pedido do Sindicato dos Jornalistas do RS e do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Radiodifusão e Televisão do RS. Os sindicatos pediram a sustação imediata de quaisquer demissões até que seja instaurado o processo de negociação coletiva. 

A decisão da Justiça do Trabalho não é capaz de suspender nada - por enquanto.