quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Greve política do Cpers fracassou de novo no RS

Fracassou a mais nova greve política dos professores públicos estaduais gaúchos. O Cpers convocou a paralisação para protestar contra os pacotes de mudanças propostos por Temer e Sartori.

A greve política saiu a 9 dias do encerramento do ano letivo.

O Cpers é aparelho do PCdoB, Psol e PT, todos de oposição aos governos federal, estadual e municipal.

PROGRAME AGORA MESMO
SEU HAPPY HOUR DE FIM DE ANO

14 comentários:

Anônimo disse...

Quais foram os benefícios trazidos pelos sindicatos aos trabalhadores? Fim do imposto sindical JÁ.

Anônimo disse...


ALERTA. O POLENTA VAI TENTAR POR EM VOTAÇÃO O SEU PACOTE DE MALDADES NESTA QUINTA-FEIRA DIA 15.

Anônimo disse...

MARCELO ODEBRECHT CONFIRMA PROPINA PAGA A TEMER E ALIADOS:

Marcelo Odebrecht, ex-presidente e herdeiro do grupo que leva seu sobrenome, confirmou à força-tarefa da Lava Jato a versão do ex-executivo da empreiteira Cláudio Melo Filho sobre pagamento de R$ 10 milhões ao PMDB feito a pedido do presidente Michel Temer; Marcelo respaldou o episódio do jantar no Palácio do Jaburu, em maio de 2014, com a presença de Temer, então vice-presidente, e do hoje ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, no qual, segundo os delatores, foi acertado o pagamento o peemedebista; Marcelo, que fechou acordo de delação premiada, depôs por pouco mais de três horas na segunda (12) em Curitiba.

14 DE DEZEMBRO DE 2016

247 - Marcelo Odebrecht, ex-presidente e herdeiro do grupo que leva seu sobrenome, confirmou à força-tarefa da Lava Jato a versão do ex-executivo da empreiteira Cláudio Melo Filho sobre pagamento de R$ 10 milhões ao PMDB feito a pedido do presidente Michel Temer. Marcelo respaldou o episódio do jantar no Palácio do Jaburu, em maio de 2014, com a presença de Temer, então vice-presidente, e do hoje ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, no qual, segundo os delatores, foi acertado o pagamento para o peemedebista. Marcelo, que fechou acordo de delação premiada, depôs por pouco mais de três horas na segunda (12) em Curitiba. De acordo com procuradores, as oitivas seguiram terça (13) e devem durar ao menos três dias.

As informações são da Folha de S.Paulo.

O delator Cláudio Melo Filho já apresentou, inclusive, provas da propina encaminhada a Temer, incluindo um email de Marcelo Odebrecht (MO) para comprovar que os R$ 10 milhões pedidos por Michel Temer à empreiteira no Jaburu foram propina. Na mensagem, Marcelo diz ter feito o pagamento a MT (Michel Temer) depois de "muito choro" e afirmou que este seria o último pagamento ao time dele. Os recursos foram divididos com Eliseu Padilha, chefe da Casa Civil, José Yunes, amigo e parceiro de Temer, e também Eduardo Cunha, que, nas perguntas que tentou enviar a Temer, mas que foram barradas por Sergio Moro, o questionou sobre essa doação.

"Marcelo não deu detalhes sobre a operacionalização do dinheiro que, de acordo com Melo Filho, foi feita por Padilha. Segundo o ex-executivo, o hoje ministro do governo pediu que parte dos recursos fosse entregue no escritório de José Yunes, assessor e amigo de Temer, em São Paulo.

Temer, Padilha e Yunes negam ter praticado qualquer tipo de irregularidade e a empreiteira não se manifesta sobre o teor dos acordos.

Após a conclusão dos depoimentos, o ministro Teori Zavascki, do STF (Supremo Tribunal Federal), decide por homologar ou não os acordos."

SE O TRAÍRA não renunciar agora,vai abrir caminho para o Principe da Privataria Tucana, assume indiretamente.

Unknown disse...

Gentalha!!!
Pelegos aliciados por partidos populistas!!!
Câncer da nação!!!

Anônimo disse...

O magistério como carreira ou como uma profissão está com os seus dias contados.
Cursos de licenciatura estão fechando em todas as Universidades do país.
Os jovens estão optando por outras carreiras.
Isso se reflete na força política do Sindicato CPERS.
Já não possuem a relevância política que tinham no passado.

Anônimo disse...

Ou seja: O CPERS é aparelho do PCdoB, Psol e PT, todos de oposição aos governos Federal, Estadual, Municipal e EDUCAÇÃO. Fora CPERS. Esse Sindicato não deve conduzir a Educação, porque Educação não é Política. Educação deve receber tratamento diferenciado, com Educação.

Anônimo disse...

CEPRS é um Sindicato Político, trabalha para os políticos. Nada a ver com Educação. Devemos separar a Educação desse Sindicato. Ele leva a Educação para baixo.

Anônimo disse...

Fim do Imposto Sindical e CPI dos Sindicatos e da UNE.

Anônimo disse...

Greve contra a PEC do Teto. Avisem pra eles que já foi aprovada.

Anônimo disse...

Quando farão leis proibindo greves em serviços essenciais? Só no Brasil é essa esculhambação.

Anônimo disse...

este mortadela ai de cima colando estes textos tirados de blogs pagos pelo pt , sim este cara me enoja, ele nem le estas m. de textos enormes e vem colar isto aqui por que vc nao censura isto , ninguem le isto ai, me ajuda ai

Anônimo disse...

rede, psol, pdt e pt lixos vermelhos

Anônimo disse...

Graeve se faz em período escolar. Agora é hora de férias até fevereiro. Na volta as escolas, uma greve pode ser avaliada.

Anônimo disse...

O Brasil regridiu 20 anos no PISA. Afinal foram mais de vinte greves neste período o que dá mais de 20 mesees sem aulas, em perídos letivos são quae três anos que os estudantes deixaram de estudar.
Veja que botam sempre a culpa na Educação, nunca nos professores ou alunos. Aluno sempre que dá uma chance para não estudar para mesmo. Iso vem acontecendo desde do tempo das cavernas, agora com o sindicato dos professores ajudando o pessoal vai parar por qualquer motivo. O resultado é um só, a desgraça do país. Vocês vão ver fábrica fechar aqui e procurar países com mais escolaridade por os nossos jovens tiveram péssima instrução.