terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Gilmar vê "possibilidade" de anular delações após vazamentos

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou, nesta terça-feira, que os ministros do tribunal vão "ter que discutir com seriedade a questão dos vazamentos" de delações premiadas.

"Isso é muito sério. O vazamento seletivo. O vazamento antes de chegar a autoridade, que no caso é o ministro Teori (Zavascki), que é o relator. São muitos os problemas que precisam ser discutidos. O STF tem de tomar posição sobre isso", disse Gilmar, antes da sessão da 2.ª Turma do Supremo.

Gilmar não descartou a possibilidade de que delações vazadas venham a ser anuladas. "Tem de ser examinado. O próprio relator tem de analisar. (Mas) É possível", disse.

30 comentários:

Anônimo disse...

Que não se atrevam!!!

Anônimo disse...


Isso já virou palhaçada. É seletivo quando chega nos nossos amiguinhos. É isso?

Anônimo disse...

Políbio,

A mesma "operação" que anulou a delação do Léo Pinheiro.

Já esta ficando chato.

Falando nisto: - O Gilmar esta com o rabo preso??

JulioK

Anônimo disse...

Esta possível anulação serve tão somente à ORCRIM.

Cristiano Zim disse...

BELEZA PURA. Se o depoimento não agrada, vazamos ele e pronto, é anulado.

Anônimo disse...

Gilmar Mendes...que lá ele está....anular delação....pirou....

Anônimo disse...

Isso só beneficiaria o criminoso. Não faz sentido.

Anônimo disse...

Se isso acontecer iremos todos a Brasília. Sacanagem e Palhaçada tem limite e hora. Chega o que aconteceu recentemente no STF com Renan Calheiros. E ficou por isso mesmo. O que aconteceu com Gilmar Mendes para agir dessa forma? Todos pediram TRANSPARÊNCIA na JUSTIÇA e agora querem barrar? SOMOS " TODOS " " MORO" EXPERIMENTEM

Anônimo disse...

Crime é o que fizeram com o Brasil Gilmar Mendes. Não existe vazamento seletivo, porque para a Justiça a transparência não é favor é obrigação, é dever. Enquanto políticos e empresários saquearam o Brasil não houve vazamento seletivo. Também não vimos o Gilmar Mendes intervir. Todos se locupletaram e deixaram o país à míngua. Miséria total

Anônimo disse...

Vazamento de denúncia não é ilegal nem pode ser motivo para anular a delação.
(...)o ministro-relator Teori Zavascki cometeu um grave erro judicial ao suspender a delação premiada do empresário Léo Pinheiro, da OAS, a pretexto de o vazamento de suas declarações ter sido ilegal.
Mais aqui:
http://www.tribunadainternet.com.br/

Mordaz disse...

Pois é. Quem não quiser que valha faz para ser anulada. E o delator que jogou a m no ventilador fica exposto para ser apagado.

Anônimo disse...

Esse ministreco tá louco pra dar um jeito de livrar os quadrilheiros do PMDB e do PSDB!

Anônimo disse...

É outro canalha esse Gilnar Mendes. Ele é do partido que se o cara é filmado roubando não pode ser preso se a filmagem não teve autorização da justiça, ou seja, pouco importa o roubo....o crime é filmar

O Brasil é uma imensa PPP, Pais da Piada Pronta

Anônimo disse...


Que jogadinha ensaiada esta de Gilmar Mendes com Temer e Rodrigo Janot. O Temerário manda, o outro gorducho PeTralha da PGR vaza, e depois manda investigar quem foi que vazou, e o Gilmar Mentes sugere que o STF anule tudo, para o bem de todos os políticos e ministros do STF, STE e STJ.

Queremos já a delação abortada de Léo Pinheiro da OAS.

Cambada de filhos de umas porcas.

Anônimo disse...

Gilmar não descartou a possibilidade de que delações vazadas venham a ser anuladas. "Tem de ser examinado. O próprio relator tem de analisar. (Mas) É possível", disse. (copiei do texto).

O Gilmar Mendes deveria ir trabalhar e não ficar dando entrevista quase todos os dias, mas parece que quer aparecer mais que os safados que roubaram o Brasil.

Enquanto o juiz MORO trabalha para o bem do BRASIL eles no STF trabalham contra o país!!!!Foram colocados no STF e não foi por concurso, mas tem a obrigação e dever de defender o país das mãos criminosos. Hoje sabemos em um minuto o que fazem, e não dá mais para varrer pra baixo do tapete.

Espero que nada seja anulado, para beneficiar a máfia brasileira.

Por favor, apenas trabalhe para a nação Sr. Gilmar Mendes.

Anônimo disse...

Onde está a petralhada corruPTa que deixou de atacar o Gilmar mendes...??? esse ministro parece que mudou de lado, agora tá defendendo os políticos corruPTos.

Anônimo disse...

Isso aí pessoal, nossa única chance é que as delações vazem, pois assim teremos a chance de em 2018 votarmos em que não está envolvido, porque da forma e quantidade de políticos envolvidos o STF não vai julgar ninguém, tudo vai prescrever. Quando falo na forma quero lembra-lós da estratégia Bison, os mais velhos sabem do que estou falando, está tudo se repetindo.

Anônimo disse...

" MORO " O Povo está contigo. 12 milhões de desempregados em plena época das festas de final de ano. Saquearam o país de Norte ao Sul e ainda o Gilmar Mendes quer protegê-los? Vergonha, país sem leis.

Anônimo disse...

Vazamento, se é que ouve, foi SELETIVO! E o resto da relação e que nomes consta e não foi mencionado? Deixaram de fora o PT pra chegar na anulação da delação e posteriormente a Lava Jato.




Anônimo disse...

Moro está para o povo como um tsunami em pleno movimento. Isto é, ninguém o segura, será impossível. Vai parar somente quando completar seu ciclo. Após o tsunami é que poderemos avaliar os estragos causado por ele. Assim é que vejo a Lava Jato.

Anônimo disse...

gilmar do bico grande... tucanada adora essas baboseiras...alias, esse senhor disse que a lei do ficha limpa foi feita por bebados...ta na hora do tiozinho ir pra casa descansar q ele ja ta gagá.

Anônimo disse...


Como é que esse ordinário ainda fica falando.

Jagunço criminoso, travestido de ministro.

Anônimo disse...


O POVO JÁ ESTÁ ENCHENDO O SACO COM ESTAS PALHAÇADAS, DAQUI A POUCO VAI DAR MERDA.

Anônimo disse...

Os blogueiros do blog não entenderam bem GM quer a anular as delações relativas ao "triara" "integrantes do PMDB" e "integrantes do PSDB , já as deleções vazadas contra o PT, Lula e Dilma, são mantidas na sua integralidade. Entenderam ou querem que desenhe?

Anônimo disse...

Gilmar não descarta que STF anule delação da Odebrecht:

13/12/2016

Jornal GGN - O ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes agora está preocupado com as consequências não jurídicas acarretados a figuras públicas por conta dos "vazamentos seletivos" da Operação Lava Jato. Segundo informações do Estadão desta terça (13), Gilmar defendeu que o STF discuta uma maneira de evitar esses vazamentos. O magistrado não descartou a possibilidade de a primeira delação da Odebrecht, divulgada à imprensa no final de semana, seja anulada. Ela atinge nomes do PMDB e PSDB, principalmente.

"Isso é muito sério. O vazamento seletivo. O vazamento antes de chegar a autoridade, que no caso é o ministro Teori (Zavascki), que é o relator. São muitos os problemas que precisam ser discutidos. O STF tem de tomar posição sobre isso", disse Gilmar, antes da sessão do Supremo de hoje. Para ele, "tem de ser examinado, o próprio relator tem de analisar, mas é possível" que a delação seja anulada.

De acordo com relatos do Estadão, "o ministro observou que os vazamentos são crimes e as trazem consequências. 'Às vezes, uma consideração de índole pessoal, sem nenhuma imputação, a acusação já se transforma na interpretação de vocês e no mundo político, uma questão de grandes consequências. Não terá consequências penais, não terá relevância do ponto de vista jurídico, mas vai ter consequência.'"

Para o ministro, o apelo de Michel Temer ao procurador-geral da República Rodrigo Janot, para que as delações - ainda faltam 76! - parem de pingar na imprensa a conta gotas, é pertinente. "O que é importante é, de fato, esclarecer esses episódios, os vazamentos, e resolver esse tipo de questão."

Gilmar não saiu em defesa de autoridades afetadas por vazamentos da Lava Jato, a ponto de considerar a anulação das delações, em outros episódios. No caso de um vazamento de grampo presidencial, aliás, o ministro usou o conteúdo vazado pelo juiz Sergio Moro para defender que Lula fosse proibido de tomar posse como ministro-chefe da Casa Civil do governo Dilma Rousseff.

O vazamento da delação de Delcídio do Amaral contra Lula e outros agentes ligados ao PT tampouco foi repreendida pelo magistrado.

Mas, agora, para ele, a lei que regula a delação premiada merece ser revista. "Claro que ela trouxe benefícios, mas vai precisar ser ajustada. Tudo que leva a esse empoderamento leva a abusos. Hoje tem disputas entre o Ministério Público e a Polícia Federal para quem vai ter acesso, porque eles sempre atribuem os vazamentos à outra parte, pode ser os advogados também", avaliou.

UM ABUSURDO, isso soa com quem dissesse "...Agora vazaram contra os nossos!!!!..." GM é de uma coerência ímpar.

Anônimo disse...

MPF agora repudia vazamento, ao contrário do que fez com Lula e Dilma:

13/12/2016

Jornal GGN - Rodrigo Janot, procurador-geral da República, repudiou o vazamento da delação de ex-diretor da Odebrecht que cita o nome de 51 políticos de 11 partidos diferentes. Em nota, o Ministério Público Federal diz que o vazamento é ilegal e “não auxilia os trabalhos sérios que são desenvolvidos”, dizendo ainda que é “causa de grave preocupação” para o órgão.

Entretanto, a conduta do MPF e de Janot é diferente da adotada diante de inúmeras outros vazamentos da Operação Lava Jato, revelando uma seletividade em relação à divulgação de informações sob sigilo.

Quando o juiz Sergio Moro autorizou a divulgação de gravações de conversas entre os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, Janot foi consultado e aprovou o vazamento. Deltan Dallagnol e outros procuradores da força-tarefa da Lava Jato divulgaram nota apoiando a atitude do juiz federal.

Leia mais abaixo: Do Justificando

Ao contrário do que fez em relação a Dilma e Lula, MPF repudia vazamento de delação de Odebrecht

A delação do ex-diretor de relações institucionais da Odebrecht Cláudio Melo Filho tomou o debate político, ao citar nomes de 51 políticos de 11 partidos que teriam recebido propina da empresa, entre eles o presidente Michel Temer. Leia a delação na íntegra. Em resposta ao vazamento, o Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, repudiou o fato e anunciou que investigará a origem do vazamento, conduta bem diferente da adotada quando os alvos eram, por exemplo, os ex-presidentes Dilma e Lula.

Segundo nota oficial do Ministério Público Federal, “o vazamento do documento que constituiria objeto de colaboração, além de ilegal, não auxilia os trabalhos sérios que são desenvolvidos e é causa de grave preocupação para o Ministério Público Federal, que segue com a determinação de apurar todos os fatos com responsabilidade e profissionalismo”.

(...)

Ou seja, caso Janot queira mesmo investigar, estará por lógica diante de dois órgãos da acusação que são possíveis autores do vazamento, conduta que é criminalizada pelo Código Penal. Isso porque o timbre ao fundo do papel da delação traz a informação de que foi “Entregue ao Ministério Público Federal”. Ou seja, o vazamento ocorreu estava no trâmite entre a Polícia Federal e o órgão inquisitorial.

(...)

O caso mais gritante de seletividade quanto ao vazamento de informações sigilosas de processos diz respeito à divulgação de áudios entre os ex-presidentes Lula e Dilma pelo Juiz Federal Sérgio Moro. A ação do magistrado sobre um processo que sequer era de sua competência ou tinha autorização judicial para a gravação teve profundo impacto na política nacional e foi catalisador do impeachment, ao levar milhares de pessoas às ruas por horas com ampla cobertura midiática.

Naquela oportunidade, Janot – o mesmo que hoje repudia os vazamentos – foi consultado e aprovou o vazamento para a mídia. Da mesma forma, os Procuradores da República da Lava Jato encabeçados por Deltan Dallagnol foram às câmeras ler uma nota oficial apoiando o Juiz Sérgio Moro pela conduta. Mais tarde, Moro viria a se desculpar ao Supremo Tribunal Federal e a ação que investigou a conduta seria arquivada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em decisão classificada pelo jurista Eugênio Raúl Zaffaroni, como um “escândalo jurídico”.

Com base nisso, o Promotor de Justiça e Professor da Universidade Federal da Bahia, Elmir Duclerc enviou uma carta ironizando Janot, pela seletividade de sua investigação e indicando que caso ele queira mesmo combater o vazamento, há um caso de repercussão e com autoria confessa para ele apurar (...)

Unknown disse...

Tá na hora de apanhar Gilmar...de relho!!!!

Unknown disse...

Corre enquanto é tempo bandido!!!!

Anônimo disse...


Não faz muito que os petralhas achavam que os brasileiros eram burros, idiotas e sem ação... será que agora o stf está pensando o mesmo? Ledo engano, ministro Gilmar!!! Pau que dá em Chico,tem que dar em Francisco!!

Anônimo disse...

cheirando a pizza a la gilmar mendes PSDBosta....