domingo, 11 de dezembro de 2016

Fiergs e mais sete congêneres defendem política de conteúdo local na política industrial do Brasil

A Fiergs, RS, e mais as suas congêneres de seis Estados, inclusive a Fiesp, iniciaram quinta-feira uma campanha em defesa do conteúdo local na política industrial do Brasil. O conteúdo local é a proporção de investimentos nacionais aplicados em um determinado bem ou serviço, garantindo participação da indústria nacional. No setor de petróleo e gás, o percentual de conteúdo local a ser utilizado pelos empreendimentos tem um mínimo determinado em lei, e propostas de proporções maiores são consideradas como critério na definição de vencedores dos leilões dos campos de exploração e produção.

O Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) tem reunião agendada no dia 14 de dezembro e pode discutir mudanças na lei de conteúdo local para a exploração de petróleo e gás. Os empresários afirmam ainda que o fim da política de conteúdo local geraria desemprego.

Segundo as entidades, foram investidos R$ 20 bilhões na ampliação da capacidade instalada entre 2011 e 2014, período em que atividades de exploração e desenvolvimento de áreas sob concessão viveram seu auge.

Petrobras defende mudanças

A política de conteúdo local foi alvo de críticas do presidente da Petrobras recentemente. Em setembro, Pedro Parente classificou a política de mal desenhada, mas declarou ser a favor de sua existência. Mas avisou:


- Somos a favor da política de conteúdo local. O que não achamos razoável é que essa política possa trazer a quantidade de problemas que trouxe para a nossa empresa, inclusive de atrasos de entrega de equipamentos. Não dá para pagar 40% acima de um preço porque a política foi mal definida, mal desenhada. Essa política é ruim.

11 comentários:

Anônimo disse...

É só perguntar como nos Governos Militares o Brasil saiu de país agricula para país industrializados.Hoje o Brasil não fabrica nem prego.

Emmanuel Carlos disse...

Tradução: querem a reserva de mercado ... a mesma que garante a corrupção na Petrobras, Eletrobras ... e outras "bras"; aliás, no "Bras"il inteiro ..... E depois ainda perguntam o "porquê" desse país ter se tornado um chiqueiro.

Façanha, o advogado do povo disse...

Pois é, dá para melhorar.

Anônimo disse...

Políbio,

Eu defendo o FIM DO IMPOSTO SINDICAL.

JulioK

Anônimo disse...

Em outras palavras: esses empresários, tão adeptos do livre mercado, não querem ter concorrência. Exatamente a mesma política do tempo do PT na Presidência que liquidou o país. Eles não entenderam nada do que aconteceu. Que gente burra.

Anônimo disse...

A politica de apoio ao mercado naval em fun';cão da Petrobras implantada pelo governo do PT alavancou o setor deu empregos e lucros as empresas.
Mas o empresariado ajudou decisivamente para a derrubada da Dilma. Agora aguentem, deixem que venha tudo do Cingapura

Anônimo disse...

Ridiculo! Isso nao é bom para o país. É bom somente para meia dúzia de industrias.

Anônimo disse...

Nenhum país desenvolvido tem algo semelhante. Protecionismo é sempre ruim.

Anônimo disse...

Basta, a eles, agir como a Odebrecht.Simples assim.

Anônimo disse...

Todos paises desenvolvidos tem politicas protecionista para aquilo que são inferiores, verifiquem as politicas agricolas, até ativistas vieram atrapalhar o desenvolvimento agricola dos brasileiros.Como a GM não faliu?Veja o etanol brasileiro que é muito competitivo, ou as barreiras fitosanitárias, os países desenvolvidos sempre arrumam um meio, desculpa, para não importar produtos mais competitivos de paises em desenvolvimento.

Anônimo disse...

polibio

porque 40 por cento a mais, lógico, a diferença para pagar propina para meio mundo

é isso que dá o governo estar metido em negócios, vira corrupção da grossa

a petrobras e outras porcarias devem ser privatizada já, é puro dinheiro público indo para o ralo

quem vai pagar a dívida de 500 bilhões que a tal petrobras tem

quem souber que dresponda, ou melhor todos sabem, o povo brasileiro

e os 500 bilhões de juros da divida publica de 3 trilhões quem vai pagar, é lógico que o povo trabalhador com sua aposentadoria pois o problema é a previdencia dos que ganham mal e mal o salario minimo

ou o governo vende tudo ou logo teremos uma revolução pior que a francesa

ninguem aguenta mais