Só Para Porto Alegre - Você percebe mais Brigada nas ruas ?

sábado, 24 de dezembro de 2016

EUA comprova que Odebrecht tentou apagar provas dos Acordos de Corrupção com Governos Lula e Dilma em 11 Países

Aliança perversa: Marcelo Odebrecht, Dilma e Lula.


Processo na Justiça dos EUA investiga atuação da empresa em 11 países. Os documentos provocam a abertura de investigações na América Latina. Ontem, o Ministério Público fez busca e apreensão nos escritórios da Odebrecht no Equador. O mesmo deve acontece em sete demais Países (CLIQUE AQUI para saber quem são e o que é feito em cada um deles).  Nos EUA, o Departamento de Justiça abrirá investigações sobre os delatados pela Odebrecht e pela Braskem, começando por Lula e Dilma, cujas ordens de prisão poderão sair. Todos os exemplos citados pelo Departamento de Justiça são a partir de 2006, durante o governo do ex-presidente Lula, quando a Odebrecht criou um setor dedicado exclusivamente ao pagamento de propinas.

Isto tudo é o que revela nova e devastadora reportagem do Jornal Nacional. O texto, as imagens e os áudios vão a seguir, no link. a seguir.

Leia tudo:

Os documentos do acordo de leniência assinado pela Odebrecht e pela Braskem com autoridades do Brasil, dos Estados Unidos e da Suíça revelam novos detalhes do esquema de corrupção que durou mais de uma década e movimentou bilhões de reais.

O processo na Justiça americana contra a Odebrecht se concentra nos contratos da empresa com a Petrobras e em obras no Brasil e mais 11 países da África, da América Latina e do Caribe. 

A Odebrecht teria subornado executivos da Petrobras e autoridades dos poderes Executivo e Legislativo, além de autoridades no exterior.

CLIQUE AQUI para ler toda a reportagem (e ver).


15 comentários:

Anônimo disse...

Ué! Mas o cachaceiro não se dizia a jararaca mais honesta do planeta? E a porcona, que também nunca sabia de nada, e dizia que não roubava e não deixava roubar? Lembram-se: "PT o partido da ética", só se for a ética dos ladrões, corruPTos e PilanTras!

Anônimo disse...

É! a casa desmoronou!

sempre mais disse...

E o nojento e asqueroso ainda diz qie vai se candidatar á Presidência. Ele sabe que talvez 10% vote nele. As pesquisas que apontam este verme na liderança estão de comum acordo com ele. Tudo armado, saem que o povo otário vota naquele que a pesquisa diz estar na frente.

Anônimo disse...

EU SEMPRE DISSE QUE A DILMA É UMA BAITA CORRUPTA.É PETISTA.PETISTA JÁ NASCE LADRÃO.

Unknown disse...

Orcrim Internacional(Lulla&Dillma&PT&Odebrecht)!!!

Anônimo disse...

A cereja do bolo será o pedido de prisão do Lula, pelos americanos. Ficará igual ao Maluf e ao presidente da CBF, ou seja, não poderá sair do Brasil. Mas pensando bem seria melhor ele fugir e ser preso.

Anônimo disse...

KENNEDY: AUTORIDADES BRASILEIRAS DEVEM SATISFAÇÃO SOBRE COOPERAÇÃO COM EUA

"Facilitar e direcionar processos contra grandes empresas multinacionais brasileiras, como é o caso da Petrobras, assim como outras grandes companhias nacionais, poderá ser danoso ao país no médio e longo prazo", disse o colunista Kennedy Alencar sobre os termos, ainda obscuros, do acordo de cooperação do Brasil com os Estados Unidos; "Uma derrocada de empresas multinacionais brasileiras não interessa ao Brasil, mas aos seus adversários no mercado global".

24 DE DEZEMBRO DE 2016

247 - O jornalista Kennedy Alencar afirmou nessa sexta-feira, 23, que governo brasileiro e autoridades como a Procuradoria Geral da República e Poder Judiciário devem dar explicações aos brasileiros sobre os termos da cooperação com o governo dos Estados Unidos nas investigações da operação Lava Jato que revelaram pagamento de propina pela Odebrecth.

"É necessário que o Brasil e suas autoridades deem satisfação aos seus cidadãos a respeito da forma como cooperam com os Estados Unidos, que são ferozes na defesa dos seus interesses porque não têm complexo de vira-lata, como diria Nelson Rodrigues", afirma Kennedy.

Segundo ele, o Brasil precisa defender os seus interesses também. "Facilitar e direcionar processos contra grandes empresas multinacionais brasileiras, como é o caso da Petrobras, assim como outras grandes companhias nacionais, poderá ser danoso ao país no médio e longo prazo. Uma derrocada de empresas multinacionais brasileiras não interessa ao Brasil, mas aos seus adversários no mercado global."

Ele lembra que na crise de 2008/2009, o governo americano agiu para evitar a quebra de bancos que tinham sido responsáveis pelo começo da confusão com o chamado subprime. "Houve punições, mas também uma preocupação em manter de pé bancos fundamentais para a economia americana, que hoje se recuperou e está crescendo de forma significativa."

Anônimo disse...

KENNEDY: AUTORIDADES BRASILEIRAS DEVEM SATISFAÇÃO SOBRE COOPERAÇÃO COM EUA

"Facilitar e direcionar processos contra grandes empresas multinacionais brasileiras, como é o caso da Petrobras, assim como outras grandes companhias nacionais, poderá ser danoso ao país no médio e longo prazo", disse o colunista Kennedy Alencar sobre os termos, ainda obscuros, do acordo de cooperação do Brasil com os Estados Unidos; "Uma derrocada de empresas multinacionais brasileiras não interessa ao Brasil, mas aos seus adversários no mercado global".

24 DE DEZEMBRO DE 2016

247 - O jornalista Kennedy Alencar afirmou nessa sexta-feira, 23, que governo brasileiro e autoridades como a Procuradoria Geral da República e Poder Judiciário devem dar explicações aos brasileiros sobre os termos da cooperação com o governo dos Estados Unidos nas investigações da operação Lava Jato que revelaram pagamento de propina pela Odebrecth.

"É necessário que o Brasil e suas autoridades deem satisfação aos seus cidadãos a respeito da forma como cooperam com os Estados Unidos, que são ferozes na defesa dos seus interesses porque não têm complexo de vira-lata, como diria Nelson Rodrigues", afirma Kennedy.

Segundo ele, o Brasil precisa defender os seus interesses também. "Facilitar e direcionar processos contra grandes empresas multinacionais brasileiras, como é o caso da Petrobras, assim como outras grandes companhias nacionais, poderá ser danoso ao país no médio e longo prazo. Uma derrocada de empresas multinacionais brasileiras não interessa ao Brasil, mas aos seus adversários no mercado global."

Ele lembra que na crise de 2008/2009, o governo americano agiu para evitar a quebra de bancos que tinham sido responsáveis pelo começo da confusão com o chamado subprime. "Houve punições, mas também uma preocupação em manter de pé bancos fundamentais para a economia americana, que hoje se recuperou e está crescendo de forma significativa."

Gustavo disse...

não se reabilita mais..
uma vez ladrão, sempre ladrão..

Anônimo disse...

NO BRASIL O STF E AFINS PASSAM A MÃO NA CABECINHA DESSA GENTE. AQUI NOS EUA ESSA TURMA VAI PEGAR E' PRISÃO PERPÉTUA!.... Como a justiça no Brasil virou uma justiça somente comparável aos que HAVIA na época medieval!AFFFFF MARIA DO CÉU! Quando isso acontecer o Brasil inteiro vai comecar a questionar profundamente o papel PODRE que o STFe afins tem exercido.

Anônimo disse...

Será que a justiça que tanto esperamos virá dos usamericanus...????

Anônimo disse...

OS SAFADOS DILMA E LULA EM BREVE ESTARAO NA JAULA

Anônimo disse...

SAO VARIOS PAISES METIDOS NA IMUNDICIE COM O 9 DEDOS - CADEIA JA EM DILMENTIRA E LULADRAO A M. DESTA QUADRILHA DO INFERNO SE ESPALHOU EM VARIOS PAISES - DEITARAM E ROLARAM- CADEIA JA NA DILMANDIOCA LESA PATRIA E NO 9 DEDOS

Anônimo disse...

uem acha Odebrecht é maior escândalo mundial, veja as multas dos bancos da crise de 2008:

FERNANDO BRITO/24/12/2016 - O Tijolaço

Lamento informar aos que estão aí comemorando a descoberta do Brasil como o capitalismo mais corrupto do mundo, por conta da multa de US$ 1 bilhão do Departamento de Justiça dos Estados Unidos que, como na Copa, perdemos de goleada para a Alemanha e para muitos outros np asqueroso “cammpeonato da falcatrua”.

Aliás, também foi de 7 a 1, como naquela tarde trágica no Mineirão. Porque foi de US$ 7 bilhões o acordo, entre multas e reparações firmado pelo respeitatíssimo Deutsche Bank com os americanos, por manipulação de operações bancárias e venda fraudulenta de hipotecas na chamada crise do subprime.

E com “desconto”, porque os americanos queriam US$ 14 bilhões.

Estamos muito longe de ganhar o campeonato mundial de falcatruas, que são a regra do capitalismo globalizado e parte da disputa de poder mundial. E se empreiteiro não é santo, banqueiro ganha dele fácil, nesta modalidade.

Perdemos feito também para os suíços do Credit Suisse, que levou uma bordoada de US$ 5,2 bilhões do Departamento de Justiça pelas mesmas razões, o que o leva a juntar-se ao seleto grupo dos bancões – os que sobreviveram, com larga ajuda de seus governos – JPMorgan Chase, Citigroup, Morgan Stanley e Bank of America, que acertaram outros US$ 40 bilhões.

Multas que serão pagas, claro, pelos usuários dos serviços dos bancos e pela população dos países onde operam, porque os governos os acham “grandes demais para quebrar”.

Como as da Odebrecht serão pagas com dinheiro de seus contratantes, em geral o poder público.

Não se trade de “fulano é honesto” ou “fulano é pilantra”, a máquina do dinheiro tem sua própria (a)ética.

Megacapitalista santo é como cabeça de bacalhau. Tem, mas você já viu um?

Em compensação. quem acha que bilhões e honra andam juntos, está cheio.

Anônimo disse...

O MAIOR ESQUEMA DE CORRUPÇAO DO PLANETA É O PETROLAO DO PT = BANDALHEIRA ESTE PARTIDO DEVE SER CASSADO