sábado, 31 de dezembro de 2016

Entenda como foi o aumento espetacular que levarão oito carreiras abonadas do funcionalismo federal

No apagar das luzes de 2016, o Governo Federal rendeu-se de novo aos setores mais abonados do corporativismo e  concedeu reajuste ao salários de oito categorias de servidores - e surpreendeu economistas especializados em contas públicas. É um momento em que a equipe de ministros da área econômica tenta convencer o país da necessidade de controlar gastos para equilibrar as finanças e tirar o país da crise.

Leia, a seguir, esta reportagem de ontem a noite do Jornal Nacional, que explica melhor e de modo consistente o que aconteceu e quais as implicações da rendição:

O reajuste saiu no mesmo dia em que o governo anunciou que vai cortar mais de 4 mil cargos e funções para enxugar a máquina e reduzir gastos. Oito carreiras do serviço público federal ganharam aumento: servidores do INSS, Receita Federal, Itamaraty...

Os reajustes serão parcelados até 2019. E só em 2017 vão custar quase R$ 4 bilhões - e R$ 11 bilhões ao final dos três anos do parcelamento.

Com esses últimos reajustes, que já começam a ser pagos em janeiro, o governo concluiu um aumento geral para todas as carreiras de servidores federais do executivo, porque outros aumentos já haviam sido dados ao longo do ano. Os índices de correção variam de 10,5% a 53%.

CLIQUE AQUI para ler tudo. Você também pode ver e ouvir a reportagem, mas o melhor é examinar o texto, porque é possível estudá-lo com mais atenção.

13 comentários:

Anônimo disse...

Pouca vergonha. As instituições estão aí é para isso: aumentar os próprios salários! E tem chato que quer que eu confie nas instituições

Anônimo disse...

O Mordomo é mais do mesmo. Infelizmente não temos saída a curto/longo prazo. Uma opção é dividir, pela força, o Brasil.

Anônimo disse...


É para isto que o governo Temer quer que o trabalhador se aposente somente após os 65 anos de idade ou 49 anos de contribuição.
E a bandalheira continua.

Por aqui o Polenta também concedeu vantagens e criou cargos, mas não tem dinheiro para pagar os salários do Poder Executivo. 13° em doze vezes é para matar quem já não tem nada.

Anônimo disse...

É um acinte. São os donos do país. Latifundiários de privilégios e regalias. A população ordeira e contributiva que se esfalfe trabalhando para pagar a Famiglia Servidore Publica. Cretinos.

Anônimo disse...

o COLARES É UM DOS MENINOS.. 90 aninhos e mamando nas tetas de ITAIPU.

Anônimo disse...

Conclusão:
Na verdade,ainda não deixamos de ser uma colônia.
Somos uma moderna e próspera colônia,como dizia nosso mestre maior,Dr.Leonel Brizola.
Basta ver os CIEPS abandonados no Rio.
Fala-se que temos complexo de vira-latas.Mas não.
Temos complexo de colônia.
Onde há uma elite com tudo que é bom,ao mesmo tempo um povão atirado às traças.Completamente abandonado que só serve para ser obrigado votar,para configurar uma (falsa)democracia.



Anônimo disse...

Sem problemas !
O Temer quer fazer com que o trabalhador trabalhar, contribuir, e não vai se aposentar, ou seja, vai contribuir anos para manter as castas numa boa.
Não entenderam ainda a jogada ?

Anônimo disse...

A especialização, a responsabilidade e a demanda sempre crescente pelo serviço público não contam?
Se algum aí acha fácil o trabalho nessas instiuições, sugiro que preste trabalho voluntário. Vamos ver quanto tempo você aguenta recebendo o que você quer pagar. Aposto que não dura 05 minutos.
Ps.: tendo crise ou não a demanda pelo serviço público é SEMPRE crescente.

Anônimo disse...

Fodam-se todos da iniciativa privada!!!! Sonegadores dos infernos.

Anônimo disse...

Sr. Políbio, boas entradas para o senhor e os seus entes queridos. Adeus 2016. A Deus 2017

Anônimo disse...

Serão milhoes de cabo-eleitorais do candidato da situação em 2018.Temer, ou Bolsonaro, ou Aécio, ou Jucá.
Um desses será o próximo presidente

Anônimo disse...

Não se preocupe editor chapa branca, o traira descontou de quem ganha salario mínimo, aumentado a "fortuna" de 50 e poucos pilas para o ano que vem, cortando os excessos do bolsa familia e em outros programas sociais que beneficiavam os pobres.

Anônimo disse...

Anônimo 31 de dezembro de 2016 13:42 disse...

"Fodam-se todos da iniciativa privada!!!! Sonegadores dos infernos."

*Se acha pouco pague mais, comuna dos inferno!!!