Empresas de ônibus de Porto Alegre avisam que isenção do ISSQN já existe

A isenção do ISSQN para as empresas de ônibus de Porto Alegre, não é uma nova medida, mas o que o prefeito eleito Marchezan Júnior propôs à Câmara é, sim, uma renovação de um decreto, baseado em lei já existente.

A isenção do imposto já vigora desde o decreto n° 18.346, de 12 de julho de 2013, e foi considerada também no processo licitatório finalizado neste ano.

Os únicos beneficiados pela medida são os passageiros, visto que a isenção do imposto recai diretamente sobre o valor da tarifa. Neste ano, se houvesse a cobrança do ISSQN, a passagem alcançaria R$ 3,85 em vez dos R$ 3,75 atuais.

Os operadores das concessões de ônibus avisaram ao editor que  não existe “troca” como foi mencionado no blog, pois o cálculo e reajuste da passagem são regulados e assegurados por contrato de concessão.

3 comentários:

Anônimo disse...



Alguém aí com conhecimento de causa, sabe dizer exatamente qual o imposto que os empresários pagam??

Sim, porque todos os impostos que os empresários "pagam", nada mais são do que o dinheiro arrecadado dos clientes, que é repassado aos governos.
Portanto, é o dinheiro que o pobre deixa de ter para uma melhor condição de vida, que sustenta toda esta corja de políticos e empresários, onde não se sabe onde fica o limite entre público e o privado.
Mas estamos falando apenas de dinheiro contabilizado, tem ainda o dinheiro do caixa 2, caixa 3, caixa 4 e assim por diante, captado nas maracutaias e falcatruas assim como deixou bem claro o Secretário da Fazenda Giovani Feltes -mais conhecido como Pezão- em uma reunião com empresários.
Só não ficou muito claro o objetivo da "reunião".
Será já começaram as arrecadações para as campanhas de 2018.
Ou era uma mordida ocasional?

Enquanto isto, trabalhemos mais um pouco para garantir as benesses da Excelências, sob pena de ser preso por sonegação fiscal.

Anônimo disse...

Quero ver os comentários daqueles que haviam criticado o Marchezam em texto anterior sobre a tal isenção, kkkkkkkkkk

Anônimo disse...


A critica a Marchezan continua e fica mais evidente sua incoerência...Pois fez todo um mimimi de que em tempo de crise não se pode abrir mão de recursos quando foi tentado dar desconto para pagamento antecipado do IPTU. Seque a mesma lógica neste caso do ISSQN. Quando se é oposição fica fácil em fazer criticas e promessas.
O cargo de secretario-adjunto CC inventado por Fortunati começou a ser ocupado por Marchezan. Me parece outra incoerência neste caso, mas vou deixar para o pessoal que votou no prefeito cobrar esta promessas de campanha.