quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Economia derrete e crescem pressões por corte de juro

CLIQUE AQUI para ler, também, "Se o Banco Central não agir direito, pode transformar recessão em depressão".

A economia brasileira registrou, entre julho e setembro, o sétimo trimestre consecutivo de queda, tornando ainda mais evidente a dificuldade de o país sair da atual recessão, uma das mais longas da história. 

A reportagem é do jornal Valor. Leia tudo:

O Produto Interno Bruto (PIB) do terceiro trimestre, divulgado pelo IBGE, encolheu 0,8% em relação ao segundo, o dobro do recuo observado entre abril e junho. Desde o primeiro trimestre de 2014, o PIB acumula retração de 8,4% e não há sinais de que a crise tenha arrefecido. Os primeiros indicadores disponíveis apontam continuidade da tendência de retração da indústria, o que faz com que bancos e consultorias passem a considerar otimista uma alta de 1% do PIB no ano que vem, projeção oficial do governo. O Bradesco, por exemplo, cortou sua estimativa de alta de 1% para 0,3%.


Diante do quadro recessivo e do recuo da inflação nos últimos meses, analistas defendem que o Banco Central acelere o processo de redução da taxa básica de juros (Selic). Mas o Comitê de Política Monetária (Copom) optou, na reunião, mais uma vez pela cautela, ao fazer novo corte de 0,25 ponto percentual, fixando a Selic em 13,75% ao ano. Apesar disso, sinalizou que deve ampliar o ritmo na próxima reunião, em janeiro.

CLIQUE AQUI para ler tudo (o material é da edição de quinta-feira, dia 1o, mas o editor considerou oportuno replicá-lo aqui para melhorar a massa crítica dos leitores interessados no assunto).

4 comentários:

Anônimo disse...

Não há nenhuma surpresa nisso.
Quase duas décadas gastando a economia Nacional em eventos faraônicos (jogos panamericanos, copa do mundo e jogos olímpicos), em gastos de retorno duvidoso (ciência sem fronteiras, fies, e outros) e roubalheira do que sobrou, vai demorar um pouquinho mais para sairmos do atoleiro.

Anônimo disse...

Deixa derreter a economia. No meu CDI ninguém mexe. Lucro uma verdadeira fortuna com juros e não crio um mísero emprego. Existe pais melhor para os "empreendedores" que o Brasil?
Titulos públicos com o maior juro real do mundo, liquidez diária e risco zero de calote. Viva o Brasil!!!!

Anônimo disse...

http://www.anfip.org.br/informacoes/noticias/ANFIP-lanca-video-sobre-a-reforma-da-Previdencia-Social_02-12-2016

Anônimo disse...

Sei que muitos brasileiros não concordam, mas a pec dos gastos e a reforma da previdência dará condições de o Brasil voltar a crescer, mas o ideal depois dessas mudanças seria uma auditoria na dívida pública, daí o serviço seria completo. O problema é que todo esse esforço pode continuar beneficiando os mesmos de sempre. Espero estar errado.