sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Calote deixa Porto Alegre sem varrição nesta sexta-feira

A Cootravipa decidiu não varrer Porto Alegre nesta sexta-feira. A cooperativa dos trabalhadores protesta contra o corte de repasses por parte do prefeito José Fortunati, o que a impediu de pagar os salários de novembro.

A prefeitura da Capital do RS está sem dinheiro, já avisou que não pagará o 13o e decidiu suspender várias obras.

9 comentários:

Anônimo disse...

Até outro dia queria aumentar o teto dos funcionários da Prefeitura,mas agora mostra a verdadeira face da crise municipal, logo no último mês de mandato.

Anônimo disse...

Ué ??? mas a cidade de Porto Alegre não era sadia financeiramente na campanha do Tião Melo???...... Mentiram, perderam, e agora ???

Anônimo disse...

Passada as eleições e o governo atual mostra a real situação do município. Já vi este filme antes num país chamado Brasil!

Anônimo disse...

Aqueles servidores que nao enxergavam os servicos nao feito e pagos tao se lixando para 13...

Anônimo disse...

Sugiro ao prefeito que varra as ruas com os mais de 800 servidores aprovados e chamados no concurso pra gari feito pelos petralhas...onde estao? Alegavam problemas e assistente social intervia junto ao diretor para que tivessem paciencia...ta ai pagam eles e mais a cotravipa, duas folhas, tem mais que atrasar os salarios mesmos....diziam que eu era doido por querer administrar como se fosse firma privada.

Anônimo disse...

O incomPTente Infortunatti não reduziu um CC, nada fez para tornar a prefeitura viável.

Tem de ir para o lixo da história política de Porto Alegre.

Ganhou um hospital para animais de estimação. Talvez deva ser internado lá!

Anônimo disse...

Polibio as ONGs da assistência social serão as próximas!!!! Só piora.

Anônimo disse...

FÁCIL, COLOQUEM A ESQUERDA-LHA A VARRER...........

Anônimo disse...


o Prefeito que não brinque com este pessoal, porque vai se azarar.
Esta turma aí não tem muita paciência, e nada a perder, pois trabalhador de cooperativa não tem direitos trabalhistas ao ser mandado embora.