BC vai encurtar prazo para repasse de cartões de crédito

O Banco Central pretende diminuir o prazo em que as administradoras de cartão de crédito repassam recursos aos lojistas.

A medida é parte do pacote para estimular a economia que deve ser anunciado nos próximos dias, agora que o Senado terminou a aprovação da PEC do Teto dos Gastos.

No mundo inteiro, os bancos emissores dos cartões e as empresas credenciadoras repassam os recursos aos varejistas dois dias depois da venda; no Brasil, o sistema — formado pelos bancos emissores e por empresas como a Cielo e Rede (do Itaú Unibanco) — fazem o repasse em 30 dias.

A medida do BC vai transferir renda do setor bancário para o setor da economia que mais tem sofrido com a recessão e o desemprego:  o varejo.

8 comentários:

Anônimo disse...

Aí os bancos vão lá e aumentam a taxa para compensar a "perda" no prazo. Já viu banco sair perdendo em alguma coisa no Brasil?

Unknown disse...

Kkkk vamos ver qual sacanagem eles vão inventar...Banco bom e o da praca..

Luiz Vargas disse...

Este banco central é bem parecido com a ANAC sempre beneficiando o andar de cima.
Para quem irá sobrar o "prejuízo" das operadoras de crédito dos bancos???
Quanto a exigir dos bancos uma taxa de juros civilizada e não juros superiores aos de agiotas para os cartões de crédito o BANCO CENTRAL DO BRASIL se faz de morto, por quê?

Jose Luiz Rizzotto disse...

Aí você vai lá e compra a vista, nunca gaste mais do que ganha desse modo não precisará usar cartão de crédito!

Roberto disse...

Enquanto não enquadrarem os bancos e as administradoras de cartões de crédito o país não avançará. Portanto, como o governo e bancos são praticamente uma mesma entidade, esperemos sentados.

Anônimo disse...

GOVERNO TEM MAIS SORTE DO QUE JUÍZO!


Medidas que sequer causam um arranhão no problema estrutural da economia.


O problema é um só: as altas taxas de juros!

Mas o governo está tranquilo, pois lida com milhões de pessoas que assistem tudo pela televisão e revistas semanais e acreditam que essas medidas pífias realmente vão fazer a diferença para a economia "voltar a crescer"

É continuar embromando até o final do mandato!

Roberto disse...

Impossível eliminar os cartões, pois andar com caminhões de dinheiro para cima e para baixo, numa merda de país como este, é pedir para ser assaltado e assassinado. Acho que supermercados, por exemplo, não mais deveriam mais aceitar moeda corrente. Temos que acabar urgentemente com papel-moeda.
Quem não quiser usar cartões de crédito, deverá usar cartões de débito. Como fringe-benefit teríamos filas mais rápidas nos supers, evitando as velhinhas que insistem em dar o dinheiro exato da compra em moedas perdidas no fundo de suas bolsas sem fundo e que levam 10 minutos para não encontrar uma moeda de 5 centavos.

Eduardo PoA disse...

Lembrando apenas que o "produto" cartão de crédito é ainda mais lucrativo do que um banco comercial. Por isso, todos os bancos, além dos varejos, tem um.