Artigo, Miguel Reale Júnior, Estadão - A nova força política

Na quinta-feira 17 de novembro, em preocupante conversa com o presidente do Instituto dos Advogados de São Paulo (Iasp), José Horácio Ribeiro, após revermos as informações que nos chegavam, concluímos ser necessário reagir com presteza ao plano que se gestava na Câmara dos Deputados para aprovar uma anistia não só do crime de caixa 2, mas também, e especialmente, de lavagem de dinheiro e corrupção relacionadas a campanhas políticas.


Tive a tarefa de redigir um manifesto.

CLIQUE AQUI para ler mais.

3 comentários:

Mr. Lincoln disse...

Esse aí não saiu ao pai, o integralista Miguel Reale. O Júnior é mais um reacionário profissional, tão somente. Não possui visão política, não consegue entender que a missão da Lavajato já acabou, e que os promotores e juízes sem controle já não são mais necessários. Chegou a hora de recolher as feras, que a esquerda já foi aniquilada; ou vão morder os donos.

Anônimo disse...

OLHEM OS ENDEREÇOS DAS MANIFESTAÇOES LÁ NA FOLHA POLITICA

TODOS NA RUAS COM SOL OU COM CHUVA

Anônimo disse...

Eu estive no PARCÃO. Novamente junto com o MBL, o VemPráRua, e o povão das redesSociais para lutar contra o PETISMO. Onde aparecer um resquício petista, lá estaremos para esmagá-los.