Artigo, Hélio Schwartsman, Folha - Leibnitz, Voltaire e a crise

O autor retoma uma das teses mais controversas de Leibnitz, a do otimismo exagerado, como também comenta de que modo Voltaire feriu o filósofo com seu brilhante "Cândido e o Otimismo", tudo para chegar ao Brasil de hoje.

(...) Não é preciso ser um dr. Pangloss para encontrar lances positivos no meio da crise. Um bom exemplo é a constatação de que foi a troca de escaramuças entre Legislativo e Judiciário que permitiu que o Senado finalmente aprovasse um projeto de lei que limita os supersalários de servidores, mais comuns no Judiciário do que nos outros Poderes. 

O texto segue para a Câmara. Em circunstâncias normais, prevaleceria o acordo tácito do "não mexa nos meus privilégios que eu não mexo nos seus". 

Há males que vem para bem.

CLIQUE AQUI para ler todo o artigo. 

Um comentário:

Anônimo disse...

O que existe hoje é uma aristocracia vermelha que não deixa o pais ir em frente...está em todo aparato estatal e recebe proteção juridica da PGR e do STF...