Artigo, Carlos Pereira, Estadão - A crise política que levou ao impeachment da presidente Dilma Rousseff acabou

Com os números levantados pelo Estadão Dados podemos concluir que a crise política entre executivo e legislativo, que levou ao impeachment da presidente Dilma, acabou. As relações entre o executivo e o legislativo voltaram ao seu “normal” com a nova coalizão do governo Temer. Sem que signifique o Presidente será sempre vitorioso, o executivo voltou a ser capaz de construir e sustentar maiorias legislativas e, como consequência, a ditar a agenda do Congresso. Na medida que o legislativo volta a ser reativo às preferências do executivo, o presidente passa a ter mais chances para implementar a sua agenda de reformas, evitando assim problemas de governabilidade.

Esse retorno ao padrão normal do presidencialismo de coalizão não se deu, entretanto, em função de alguma espécie de uma “lua-de-mel” do presidente com a sociedade, tendo em vista inclusive que o presidente Temer enfrenta baixíssimos números de popularidade. Na realidade, o estado de governabilidade tem sido uma consequência direta da forma como o novo governo decidiu montar e gerenciar a sua coalizão.

CLIQUE AQUI para ler tudo.