sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Al Jazeera pergunta: "A senhora é corrupta ou só incompetente ?". Dilma se irrita e sobe o tom na entrevista.

Viraliza, hoje, nas redes sociais, o vídeo no qual a ex-presidente subiu o tom ao ser questionada pelo jornalista Mehdi Hasan sobre o escândalo do Petrolão

A ex-presidente Dilma Rousseff se irritou ao dar uma entrevista à rede televisão Al Jazeera, do Catar. Em um trecho da conversa divulgado nesta quinta-feira, o jornalista Mehdi Hasan – que veio ao Rio de Janeiro para conversar com a petista – pergunta se a ex-presidente nega que tivesse conhecimento do esquema de corrupção instalado na Petrobras “por ser cúmplice” ou por ser “incompetente”.

Visivelmente irritada e subindo o tom de voz em alguns momentos, Dilma tenta sair pela tangente: “Bom, meu querido, esta é o tipo da ‘escolha de Sofia’ que eu não entro nela. Não é isso que acontece”, disse.


“Há uma diferença – e há no mundo inteiro – entre um conselho e uma diretoria executiva. Nem todos os membros da diretoria sabiam que aqueles diretores da Petrobras tinham mecanismos de corrupção e estavam enriquecendo de forma indevida”, completou a ex-presidente. 

A entrevista completa vai ao ar nesta sexta-feira.

CLIQUE AQUI para examinar o vídeo.

25 comentários:

Anônimo disse...

A imbecil pensava que os muçulmanos iriam lhe tratar bem, pois esquerdista odeia Israel, levou uma paulada ! só faltou o reporter chamá-la de retardada.

Parabens a esta rede muçulmana ! Foi a primeira que levantou a voz e não baixou depois dos gritos da presidanta.

E ai PT vai babando o ovo de terroristas para ver no que da.

sempre mais disse...

Isso é que é jornalista!!! Os daqui têm medo dela e do chefão. Os daqui fazem jornalismo para os analfabetos cevados por Lula durante 16 anos.O Brasil é um país sem prestígio no exterior pela corrupção, mas isso não importa o que importa é que quem sonega a notícia está com os bolsos cheio ás custa da ignorância de um povo servil.

Unknown disse...

Lá fora não tem Rede Globo nem Folha de São Paulo!!!
É jornalismo de verdade!!!
Aqui... só aliciados populistas!!!

Anônimo disse...

O cara foi no rumo certo. Ou é conivente ou incompetenta. Ou as duas, pois não são excludentes.

Anônimo disse...

Bem feito, Anta!

Nelson disse...

Esse cara merece um prêmio! Fez as perguntas que eu e todo o brasileiro de bem gostaríamos de fazer!

Anônimo disse...

ESSA ANTA NÃO TEM O MÍNIMO DE AMOR PRÓPRIO E VERGONHA NA CARA, ALÉM DE SER UMA GRANDE FALSA, MENTIROSA E INCOMPETENTE. PAGANDO MICO ATÉ MESMO PARA EMISSORA DE TV DE MUÇULMANO TERRORISTA!

Anônimo disse...

Até que a maldita petista enfrentou um verdadeiro jornalista. Um exemplo aos baba-ovos da Globonews, Band e outras drogas. Ele tem compromisso é com a notícia e está ali para ESPREMER o entrevistado. MUITO BOM. A corrupta e burra mulher quis se fazer de forte, mas parece que murchou.

Anônimo disse...

O Juremir Machado teve uma aula de jornalismo honesto, viu dezenas de anos de militância jornalística de esquerda ser detonada por uma simples pergunta que nunca teve coragem de fazer a um governante esquerdista. A verdade irrita as esquerdas.

Anônimo disse...

As duas perguntas ora; corrupta e incompetente...
Foi dar entrevista na al jazeera? Quis pautar como fazia aqui e se deu mal. É muito burra dá zero pra ela.

Anônimo disse...

Concordo com o pessoal acima: jornalista de verdade. No Brasil, a cordialidade do politicamente correto aleijou mentalmente nosso jornalismo e também a maioria dos leitores e eleitores. Nos debates eleitorais, muitos eleitores criticam o candidato que questiona o outro de maneira mais incisiva, confundindo com agressão... Não é agressão, é apenas questionar diretamente, impedindo que a pessoa desvie o foco da questão. O jornalista da Al Jazeera faz exatamente isso: mantém o foco.

Anônimo disse...

Nos EUA, Power Point como o de Lula fez Suprema Corte anular o julgamento:

16/12/2016

Jornal GGN - Na ação por danos morais movida contra o procurador da Lava Jato Deltan Dallagnol, a defesa do ex-presidente Lula apontou que o uso de apresentação em Power Point pelo Ministério Público, inserindo o réu numa situação de culpa irrefutável antes mesmo de uma decisão da Justiça, fez a Suprema Corte dos Estados Unidos anular o julgamento.

Segundo a defesa de Lula, a Lava Jato copiou exatamente a mesma estratégia ao denunciar Lula no caso triplex. A força-tarefa de Curitiba convocou uma coletiva de imprensa para colocar o ex-presidente como o "comandante máximo do esquema de corrupção na Petrobras". Nos Estados Unidos, também foi um procurador que violou o direito à presunção de inocência.

"No caso usado como referência (State of Washington x Edward Michael Glasmann), a Suprema Corte Estadunidense anulou a decisão condenatória e determinou que o acusado fosse submetido a novo julgamento, justamente pela indevida utilização dos slides, abalando a presunção de inocência do acusado e impedindo que o réu exerça o direito constitucional do fair trial e do due process of law."

O Tribunal concluiu que "nenhum motivo pode existir para a apresentação deste slide a não ser inflamar preconceitos e paixões. Ele reduz substancialmente o direito do réu a ter um julgamento justo."

Sobre o episódio, a defesa de Lula selecionou alguns trechos de literatura estrangeira: "Um julgamento justo certamente implica um julgamento onde o promotor representando o estado não joga fora o prestígio do seu cargo... e a expressão da sua própria crença de culpa na balança contra o acusado" e "Embora o promotor tenha liberdade para arguir inferências acerca das provas, ele deve “buscar sua convicção baseada exclusivamente no conjunto probatório e na razoabilidade."

Dallagnol é processado por danos morais, numa ação da ordem de R$ 1 milhão. A defesa alegou que não é "o papel de um membro do Ministério Público Federal, que deve sempre respeitar as instituições e zelar pelo fiel cumprimento da lei", fazer denúncias para "julgamentos midiáticos ou para o enxovalhamento público de qualquer cidadão. As ofensas são extremamente graves e demandam reparação integral dos prejuízos causados."

Anônimo disse...

Certamente esse trate daí, a anta estocadora de vento, quando bater com a cola na cerca, irá direto para o fundo dos infernos, pelo mal que fez, continua fazendo e fará as gerações futuras! Ajudou, junto com o pilantra bebem e ladrão, a destruir o país.

Nélio disse...

Foi para matar a saudade deste ser, Editor?

Anônimo disse...

Esse jornalista árabe é um cara porreta!
Fez um questionamento como se usasse um bisturi em um corte certeiro.
A mandiocona terrorista foi detonada pela Al Jazeera e foi ao ar no mundo inteiro.
Ver a terrorista de andar pesado ter que responder à pergunta se é corruPTa ou incomPeTente não tem preço!!!!
Profª Sonia

Anônimo disse...

Ae jornalistas brasileiros, é assim que se faz jornalismo sério. A pergunta foi direta como todo brasileiro gostaria que fosse feita pelos jornalistas brasileiros comprados por esses políticos corruPTos.

Anônimo disse...

DILMA: TEMER É TRAIDOR, TRAIU UMA INSTITUIÇÃO, TRAIU UMA CAMPANHA:

Em entrevista ao jornalista Mehdi Hasan, do programa "UpFront", da rede de televisão Al Jazeera, a ex-presidente Dilma Rousseff afirma que "ficou cada vez claro", no últimos meses, que houve um golpe de Estado no país que a tirou do cargo; segundo ela, Michel Temer é um "traidor"; "Eu jamais esperei que ele [Temer] fosse um traidor - e ele é um traidor. A traição no nosso caso não é pessoal, é política. Ele é um traidor, a mim ele traiu enquanto presidente, ele traiu uma instituição, uma campanha. Fomos eleitos com um programa. E neste programa não estava previsto congelar os gastos de Educação e Saúde por 20 anos. Não estava previsto que pessoas só poderão se aposentar com 49 anos de contribuição", afirmou; para Dilma, é preciso que se realize eleições diretas no país; "Tem que se eleger um novo presidente da República para que este golpe seja de fato barrado".

16 DE DEZEMBRO DE 2016

247 - Em entrevista ao jornalista Mehdi Hasan, do programa "UpFront", da rede de televisão Al Jazeera, a ex-presidente Dilma Rousseff afirma que "ficou cada vez claro, no últimos meses, que houve um golpe de Estado no país que a tirou do cargo. Segundo ela, Michel Temer é um "traidor". Ela defendeu ainda a realização de eleições diretas no país como forma de barrar o golpe e se reconstituir a democracia.

Abaixo alguns dos trechos da entrevista:

"O que me tirou do governo foi um golpe de Estado. O que se vê nestes seis é um processo de deterioração. Me tiraram para cumprir os seguintes objetivos: impedir que as investigações de corrupção chegassem até a esses que hoje ocupam o poder, implantar no Brasil o resto do processo de liberalização econômica de políticas de privatização, de flexibilização do mercado de trabalho e, sobretudo, retirar completamente os pobres do orçamento do país. Estas medidas que são do receituário neoliberal para serem implantadas era necessário que ocorresse essa verdadeira suspensão da democracia, que foi o meu impeachment".

"Estamos fazendo uma não violenta luta contra este golpe. Tem vários tipos de golpe. O que ocorre no mundo, sobretudo na América Latina é o golpe parlamentar - ou golpe institucional. Um poder se aliar a segmentos de outro pode, no caso do Brasil, o parlamento se alia a segmentos do Judiciário, e dá um golpe me retirando do poder com alegações absolutamente insustentáveis. São 61 senadores contra 54 milhões de votos. (...)

"Eu jamais esperei que ele [Temer] fosse um traidor - e ele é um traidor. A traição no nosso caso não é pessoal, é política. Ele é um traidor, a mim ele traiu enquanto presidente, ele traiu uma instituição, uma campanha. Fomos eleitos com um programa. E neste programa não estava previsto congelar os gastos de Educação e Saúde por 20 anos. Não estava previsto que pessoas só poderão se aposentar com 49 anos de contribuição".

ESSE é a melhor parte da entrevista, onde o editor esconde o "traíra", por ser do mesmo partido do editor.

Anônimo disse...

Pela resposta, ela assumiu ser incompetente, não saber o que estava acontecendo embaixo das fuças dela.

Anônimo disse...

Políbio,

Esse cara merece ser condecorado pelo trabalho prestado ao povo Brasileiro,
mostrando para esses jornalistinhas de merda, analfabetos funcionais que formam a imprensa da Banânia, o quanto eles são inúteis.

Unknown disse...

Kkkkkk

Unknown disse...

Cambada de canalhas!!!

Unknown disse...

Exatamente

elias disse...

Gostei muito do jornal GNC que o petralha ai acima postou.
Polibio, se eu quisesse ler essas merdas ia em outro blog.

Anônimo disse...

A madame saiu com uma conversinha fiada das escolhas de Sofia,querendo confundir alhos com bugalhos.Uma pessoa que foi Ministra das Minas e Energia, Presidente do Conselho da Petrobras e Presidente de um país não ser responsabilizada pela compra de Pasadena merece ou não a pergunta, é coniventa ou incompetenta?

Anônimo disse...

O Jornalista estava falando português ??? ele deve ter se confundido e colocado palavras fora de seu contexto aqui no Brasil...É muito comum árabes novatos em português fazerem isso.. Há uma piada no interior de SP de que mostra isso.. Salim era caixeiro viajante, poucos anos de Brasil e numa noite quente, antes de dormir no hotel foi passar um tempinho numa casa de tolerancia que todas as cidades tinham...naquela noite uma das mulheres tinha dado a luz e a casa tava cheia de gente para ver a criança...a policia percebendo o movimento também foi lá...e entrou perguntando o que estava acontecendo...Salim na maior simplicidade disse : foi a puta que pariu !!! Levou um cacete tão grande que só voltou a andar depois de sete dias e perguntava a todos : o que eu fiz de errado.?. o que eu fiz de errado? !!!