ACI e Abicalçados exigem aplicação de decreto que obriga trabalho na Receita Federal

A ACI de Novo Hamburgo e a Abicalçados, além de outras cinco entidades emrpesariais, encaminharam nesta sexta-feira um duro ofício ao ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, exigindo que em virtude da Operação Padrão dos fiscais da Receita Federal junto à aduanas alfandegárias, seja aplicado o Decreto nº 7.777/2012 que dispõe sobre as medidas para a continuidade de atividades e serviços públicos dos órgãos e entidades da administração pública federal durante greves, paralisações ou operações de retardamento de procedimentos administrativos promovidas pelos servidores públicos federais. “

CLIQUE AQUI para ler a carta.
CLIQUE AQUI para ler o decreto 7.777.

O que dizem os industriais gaúchos:

- O Brasil não pode parar nem recuar neste momento histórico em que a retomada de negócios e o sucesso econômico precisam sobrepor-se a interesses corporativos. 

ACI e Abiclçados denunciam que de algumas semanas para cá a análise dos processos pela Receita Federal resume-se a dois dias úteis por semana tão somente. Ao buscar o serviço operacional da RF o usuário depara-se com uma placa afixada a vista de todas as empresas com a informação de que “terça-feira, quarta-feira e quinta-feira são dias sem computador”.

O ofício cita ainda que o Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Federal anunciou, nesta semana, que em nome do acirramento da pressão para aprovação do texto original do Projeto de Lei 5864/16 - que trata de diversos pontos para reestruturação do órgão e ganhos para os servidores como Bônus de Eficiência e Produtividade na Atividade Aduaneira – haverá paralisação em todas as unidades alfandegárias nos dias 6,7,8,13,14 e 15 de dezembro. E ainda que o mesmo Sindicato informa que vai realizar duas semanas de canal vermelho (4 a 17 de dezembro) tendo o objetivo de verificar todas as mercadorias que chegarem nas aduanas, tornando o processo de liberação muito mais lento para as cargas de importação e exportação em caminhões, trens e navios.

A reclamação da indústria é de indignação e revolta:^

- É desproporcional. É injusto com os empreendedores formalizados. É desestimulante, e mesmo agressivo, para com os investidores estrangeiros que querem investir no Brasil, tão necessários para uma retomada positiva de nossa economia. 

8 comentários:

Anônimo disse...



Está mais do que na hora de reagir. Chega de ficar de refém dessa turma!!

Anônimo disse...

e que trabalhem 15 horas por dia como quer a fiergs.

Anônimo disse...

É isso aí! Tá na hora de jogar duro com esses sindicatos que paralisam o Brasil. Que aplique-se a lei e que demita-se se continuarem a fazer terrorismo com o Brasil. E que se elimine o imposto sindical pra acabar com a renda desses terroristas!

Anônimo disse...

Decreto da Dilma ?
Quem cumpre ?
O Temer ?
O Meireles ?
Dia 24 agora vem o Papai Noel e depois o Coelho na Páscoa !
Podes crer

Unknown disse...

Chega de GREVISMO... Que se revise a lei de Greve!!!
Trocar paralisações por negociação efetiva em Tribunais de Mediação!!!

Unknown disse...

Hora de os cachorros voltarem a urinar nos postes!!!
Chega de grevismo!!!
Pelo fim do peleguismo sindical!!!
Pelo fim das corporações!!!

Anônimo disse...

A ACI ainda não se deu conta de que a anarquia é generalizada e os funcionários acatam determinações do Ministro se quiserem.

Roberto disse...

Alguma manifestação dessa turma no que diz respeito às malas do Lula, liberadas sem vistoria no aeroporto de Cumbica, quando embarcava para Itália em voo fretado, acompanhado de assessores e secretários?