sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Abimaq/RS ataca antecipação do ICMS e restrição aos créditos presumidos no RS

  A Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (ABIMAQ/RS) mandou avisar ao editor, esta tarde, que apoia as medidas de ajuste propostas à Assembleia Legislativa pelo governador José Ivo Sartori para reduzir o custo da máquina do Estado, eliminando de forma perene o déficit das contas públicas, mas tem pelo menos duas restrições.

Segundo o vice-presidente da entidade, Hernane Cauduro, estas são as restrições:

- A antecipação do recolhimento do ICMS, que faz parte do pacote não deve ser considerada como medida de saneamento, pois o efeito  pratico  é de antecipar uma receita ,  gerando   impacto direto no fluxo de caixa das empresas em um momento de crise extrema, agravado pelo fato de que recentemente o governo aumentou a alíquota do tributo, quando o setor privado foi chamado a contribuir, já em plena recessão. 
2 - O inteiro conteúdo do projeto de lei 214/2015, que restringe em 30% a apropriação de crédito presumido de ICMS durante os exercícios de 2016 a 2018. Os créditos presumidos são contrapartidas para que a indústria gaúcha não fique em desvantagem concorrencial com empresas do mesmo segmento, que gozam de benefícios equivalentes em seus Estados.

A Abimaq quer a supressão das duas reformas.

5 comentários:

Anônimo disse...

Esse é o apoio.Tudo certo desde que não toquem em mim.
Só lembrando que as empresas só recolhem o imposto pago pelos consumidores.
É por essas coisas que o Estado se encontra nesta situação cada um pensa em "tirar a máxima vantagem" são grandes brasileiros.....

Anônimo disse...

Ou seja, eles apoiam desde que o corte e as penalizações não os atinjam.
Cortar os direitos dos trabalhadores sim, cortar os previlégios e as benesses das empresas, N Ã O.

Anônimo disse...


Caro Políbio

Observe bem que a Abimaq não reclama da elevação da contribuição previdenciária para 14%!!

Sartori, o atual patrão dos funcionários estaduais, como bom testa-de-ferro do Temer, insiste em elevar essa contribuição para 14%.

Ora, ora, ora!!

Sartori, Pezão do Rio e toda a bandidagem de Brasília, e todos os empresários alegam não terem dinheiro pra nada.

Pois bem, todo o trabalhador contribui com a metade, e o patrão contribui com a outra metade, em valores iguais, para a Previdência.

Se os patrões estão sem dinheiro e, mesmo assim, insistem em elevar pra 14% a contribuição previdenciária do trabalhador, também a contribuição dos patrões deverá se elevar para 14%.

AÍ ESTÁ A GRANDE REVELAÇÃO:

Os governantes e patrões da iniciativa privada

NÃO ESTÃO CONTRIBUINDO PARA O INSS, com os 50% que lhes competem,

PORISSO QUE TODAS AS PREVIDÊNCIAS ESTÃO DEFICITÁRIAS.

E SEMPRE ESTARÃO DEFICITÁRIAS, PORQUE PATRÕES NÃO ESTÃO PAGANDO O INSS DE SEUS TRABALHADORES, E QUEREM CONTINUAR DEVENDO.

E SÓ O TRABALHADOR CONTRIBUIRÁ CADA VEZ MAIS E MAIS, PARA COBRIR O ROMBO PROVOCADO PELO CALOTE DOS PATRÕES, QUE NÃO CONTRIBUEM COM NADA, DESCONTAM DIRETO NA FOLHA DE PAGAMENTO A CONTRIBUIÇÃO DO TRABALHADOR, FICAM COM O DINHEIRO PRA ELES E NÃO REPASSAM À PREVIDÊNCIA NEM A CONTRIBUIÇÃO DESCONTADA DO EMPREGADO.

PORISSO QUE OS GOVERNANTES E OS PATRÕES EMPRESÁRIOS QUEREM AUMENTAR A CONTRIBUIÇÃO, SÓ PARA OS TRABALHADORES, PRA COBRIR SEUS PRÓPRIOS ROMBOS E DEIXAR A PREVIDÊNCIA CADA VEZ MAIS SEM DINHEIRO.

O QUE TEM QUE MUDAR É A OBRIGATORIEDADE DO TRABALHADOR EM CONTRIBUIR PARA A PREVIDÊNCIA OFERECIDA PELO PATRÃO.

PARA QUE O TRABALHADOR TENHA O DIREITO DE ESCOLHER ADMINISTRAR SUA PRÓPRIA RENDA, PARA SE MANTER NA VELHICE.

CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA OBRIGATÓRIA É GOLPE, NÃO É NADA DEMOCRÁTICO.

Anônimo disse...


Caro Políbio

Observe bem que a Abimaq não reclama da elevação da contribuição previdenciária para 14%!!

Sartori, o atual patrão dos funcionários estaduais, como bom testa-de-ferro do Temer, insiste em elevar essa contribuição para 14%.

Ora, ora, ora!!

Sartori, Pezão do Rio e toda a bandidagem de Brasília, e todos os empresários alegam não terem dinheiro pra nada.

Pois bem, todo o trabalhador contribui com a metade, e o patrão contribui com a outra metade, em valores iguais, para a Previdência.

Se os patrões estão sem dinheiro e, mesmo assim, insistem em elevar pra 14% a contribuição previdenciária do trabalhador, também a contribuição dos patrões deverá se elevar para 14%.

AÍ ESTÁ A GRANDE REVELAÇÃO:

Os governantes e patrões da iniciativa privada

NÃO ESTÃO CONTRIBUINDO PARA O INSS, com os 50% que lhes competem,

PORISSO QUE TODAS AS PREVIDÊNCIAS ESTÃO DEFICITÁRIAS.

E SEMPRE ESTARÃO DEFICITÁRIAS, PORQUE PATRÕES NÃO ESTÃO PAGANDO O INSS DE SEUS TRABALHADORES, E QUEREM CONTINUAR DEVENDO.

E SÓ O TRABALHADOR CONTRIBUIRÁ CADA VEZ MAIS E MAIS, PARA COBRIR O ROMBO PROVOCADO PELO CALOTE DOS PATRÕES, QUE NÃO CONTRIBUEM COM NADA, DESCONTAM DIRETO NA FOLHA DE PAGAMENTO A CONTRIBUIÇÃO DO TRABALHADOR, FICAM COM O DINHEIRO PRA ELES E NÃO REPASSAM À PREVIDÊNCIA NEM A CONTRIBUIÇÃO DESCONTADA DO EMPREGADO.

PORISSO QUE OS GOVERNANTES E OS PATRÕES EMPRESÁRIOS QUEREM AUMENTAR A CONTRIBUIÇÃO, SÓ PARA OS TRABALHADORES, PRA COBRIR SEUS PRÓPRIOS ROMBOS E DEIXAR A PREVIDÊNCIA CADA VEZ MAIS SEM DINHEIRO.

O QUE TEM QUE MUDAR É A OBRIGATORIEDADE DO TRABALHADOR EM CONTRIBUIR PARA A PREVIDÊNCIA OFERECIDA PELO PATRÃO.

PARA QUE O TRABALHADOR TENHA O DIREITO DE ESCOLHER ADMINISTRAR SUA PRÓPRIA RENDA, PARA SE MANTER NA VELHICE.

CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA OBRIGATÓRIA É GOLPE, NÃO É NADA DEMOCRÁTICO.

OUTRA INFORMAÇÃO MUITO IMPORTANTE, QUE GOVERNOS, PATRÕES E A MÍDIA CHAPA-BRANCA, COM OS JORNALISTAS QUE GANHAM PIXULECOS PARA ENGANAR O POVO, É A SEGUINTE (É SÓ PESQUISAR NA INTERNET, QUE ESTÁ TUDO LÁ:

A GRANDE RESPONSÁVEL PELO DÉFICIT DE 90 BILHÕES DA PREVIDÊNCIA GERAL DO INSS CHAMA-SE:
"PREVIDÊNCIA RURAL".

ISSO MESMO: A PREVIDÊNCIA RURAL, EM JANEIRO DE 2016, JÁ ESTAVA COM UM DÉFICIT DE 94 BILHÕES DE REAIS, DEVIDO À CONTRIBUIÇÃO DE APENAS 2% COBRADA DO TRABALHADOR RURAL, E DEVIDO À MÁ GESTÃO, CORRUPÇÃO E FALTA DE FISCALIZAÇÃO.

ENQUANTO QUE A PREVIDÊNCIA URBANA ESTAVA COM UM SUPERHÁVIT DE 5 BILHÕES NA MESMA DATA,EM JANEIRO/16.

E O TRABALHADOR URBANO CONTRIBUI COM 11%, CONTRA 2% DO RURAL.

E AS CONTRIBUIÇÕES URBANAS E RURAL SE MISTURAM NA MESMA CONTA DO INSS.

CONTRIBUUNDO COM 11%, O TRABALHADOR URBANO PAGA 120% A MAIS QUE O RURAL, COM SEUS 2%.

E OS CARAS-DE-PAU DOS POLÍTICOS CORRUPTOS, QUE DEFENDEM OS INTERESSES SÓ DOS EMPRESÁRIOS, QUEREM AUMENTAR AINDA MAIS A CONTRIBUIÇÃO DOS TRABALHADORES URBANOS.

E NEM CITAM O DÉFICIT DA PREVIDÊNCIA RURAL, E SEUS CULPADOS!!

ISSO É UM DEBOCHE.
UM GOLPE NOS CIDADÃOS BRASILEIROS.

Pesquisem e confirmem na internet:
"Canal Rural, déficit da Previdência Rural, 22 de janeiro de 2016"

Espalhem, por favor.

Anônimo disse...



Os empresários que apenas recolhem o dinheiro do contribuinte, agora não querem repassar a grana ao governo.
Esta cambada, usa o dinheiro alheio para enriquecer e o povo trabalhando cada vez mais para sustentar esta corja toda, uma hora isto vai acabar, tomara que seja pelas mãos do políticos, porque se for pelas mãos do povo, vão rolar cabeças.