terça-feira, 13 de dezembro de 2016

1/4 dos portoalegrenses não saem mais à noite com medo da violência

Uma pesquisa realizada em Porto Alegre nos meses de outubro e novembro deste ano e publicada com exclusividade pela RBS, mostra que 71,8% das pessoas já sofreram ou têm familiar que já sofreu algum tipo de criminalidade e que 83,5% mudou seus hábitos devido à falta de segurança. 

34,7% não saem mais à noite. 

O estudo aponta, ainda, que 67,5% dos porto-alegrenses aprova a pena de morte no Brasil.

Leia esta nota do site zerohora.com:

Encomendada pela Associação dos Oficiais da Brigada Militar (ASOFBM), a pesquisa de opinião "Raio X do Caos da Segurança Pública em Porto Alegre", realizada pela Segmento Pesquisas, ouviu 400 moradores acima dos 16 anos de idade, de ambos sexos, de diversos bairros da Capital e de todas as classes sociais, conforme explica o presidente da ASOFBM, Marcelo Gomes Frota.

— É um cenário caótico, em que as pessoas estão estarrecida com a falta de segurança pública. Com esse levantamento, comprovamos que o medo não é apenas uma mera percepção — disse.

A pesquisa na íntegra foi divulgada as 14h desta terça-feira no Hotel Plaza São Rafael, em Porto Alegre.


Precisávamos medir com muito mais cuidado o que está acontecendo no Rio Grande do Sul. E aí surgiu a necessidade de um olhar científico — complementou o presidente, explicando a necessidade da pesquisa.

5 comentários:

Anônimo disse...

Na verdade então mais de 1/3 já não saem mais a noite e acho o resultado desta pesquisa um pouco conservador.

Anônimo disse...

Nesse cenário caótico , seria mais do que NECESSÁRIO facilitar a compra e o porte de arma individual pelo cidadão. O bandido anda armado , o cidadão não. O resultado é esse que se vê. O cidadão , já assoberbado com as contas, a inflação, com os impostos, com o seu emprego, ainda tem que baixar a cabeça para os bandidos. E ouvir das autoridades e " especialistas" que a vítima NÃO DEVE REAGIR.. Deve entregar , de maneira cordata, tudo o que o bandido exigir, seus pertences e , se necessário, a sua família. Deve ser um covarde, um cordeiro. O cordeirinho deve ser louvado pela sociedade. Se reagir, o cidadão , além de ser mostrado pela mídia como um brutamontes, poderá ter de prestar contas à Justiça ou sofrer futuras represálias da quadrilha , à qual pertencia o criminoso. É a inversão de valores. A vítima passa a ser o bandido. É o CAOS .!!!

Anônimo disse...


Esta gente não prega o prego sem a estopa, estão emparedando o Sartori para exigir alguma contrapartida.
Pois já fazem dois anos que estamos nesta situação e somente agora aparecem os interessados no tema. Os sindicatos dos agentes da Policia Civil e os Cabos e Soldados da BM, já tinham alertado dos altos índices da criminalidade, agora vem o pessoal do alto clero com "pesquisinha", aí tem truta. Aumentar o efetivo ninguém da cúpula fala.

Anônimo disse...

Efeito PMDB.
Mas não tem problema. Na próxima eleição os gaúchos politizados elegerão a Ana Amélia da RBS, digo, do PP

Unknown disse...

Pois é... e tem policial se aposentando com menos de 50 anos de idade!!!
Pode???