Operação Acrônimo realiza nova fase, desta vez em Brasília e Tocantins

A Polícia Federal deflagou nesta quarta-feira, 30, a 12ª fase da operação Acrônimo, que busca enquadrar o governador petista de Minas, Fernando Pimentel, até agora protegido por decisões inéditas do STJ. 

Foram compridos quatro mandados de condução coercitiva em Brasília e no Tocantins contra suspeitos de envolvimento em fraudes no Detran.

Entre os alvos de condução coercitiva estão o deputado estadual Eduardo Siqueira Campos (DEM), filho do ex-governador José Wilson Siqueira Campos.

Além dele, o ex-diretor do Detran coronel Julio Cesar Mamede, que foram citados na delação premiada do empresário Benedito Oliveira, o Bené

2 comentários:

Anônimo disse...

É preciso afastar este governador de suas funções. Espero que o STF faça isso o mais rápido possível, afinal um estado com as finanças em estado crítico, o governador colocou pessoas envolvidas nesta operação anacrônimo recebendo 60 mil reais por mês de salário, enquanto isso os professores coitados...

Anônimo disse...

Ha!, é do DEM?
Eu pensava que os políticos do DEM eram exemplo de honestidade.
Isso é o que eles dizem nas entrevistas nas rádios do interior