sábado, 30 de julho de 2016

Opinião do editor - Fuja do Rio Grande do Sul nesta quarta-feira

O verdadeiro toque de recolher decretado pelos líderes de classe dos brigadianos e policiais civis reunidos no chamado Bloco de Segurança, é uma ilegalidade e uma afronta inédita ao povo do RS (leia abaixo).
Resta saber o que pensa disto o governo estadual, responsável pela tragédia anunciada para esta quarta-feira, porque afinal de contas é ele quem recolhe o dinheiro do povo para oferecer-lhe serviços e no entanto é ele quem não consegue pagar brigadianos e policiais civis, sujeitos a humilhações desesperadoras.
O governo estadual certamente não saberá dizer que tipo de solução oferecerá, porque é o que tem feito.
Como o governador Ivo Sartori não terá pulso e decisão para pedir intervenção da Força Nacional de Segurança e nem do Exército, já que não prometerá nada capaz de cumprir para os homens da BM e da Polícia Civil, ao povo gaúcho só restará a alternativa de obedecer ao toque de recolher, armar-se com o que puder encontrar pela frente para se defender ou sair antes que seja tarde.
Quem puder e tiver juízo, fugirá para o Uruguai, Argentina ou Santa Catarina, nossos vizinhos mais próximos, onde contará com proteção policial.

14 comentários:

Anônimo disse...

O Políbio criticou tanto o regime esquerdista do Uruguai e agora orienta o povo e ir para aquele país em busca de segurança

Anônimo disse...

Afronta que esse sujeito esta fazendo com toda sociedade, tendo recurso nas contas do estado como caixa único de 690 milhões conta específica salário ,além das receitas correntes e mais provavelmente a administração direta estaja cobrindo defecit das estatais. Explanado acima,então é uma mentira do feltes e sartori, eles querem implementar o caos e pergunta que fica cadê a justiça, essa que ajudou a tirar o poder democrático que ocorre a cada 4 anos e que acusou a Sra. Dilma de irresponsabilidade fiscal. Só resta a greve, pois isso já pode ser comparado a escravidão, pois o patrão decide a hora de pagar mesmo ter trabalhado o que foi acordado.

Anônimo disse...

O Sartori se ocorrerem mortes tem que ser processado criminalmente pelos
parentes das vitimas.

Anônimo disse...

que as evetuais tragédias do dia sejam imputadas ao mais desgraçado doa governantes que oo Estado ja teve. Um maldito que envergonha o gaúcho. MP nele já, demissao do governador e a pontapés, que é a maneira que ele entende.

Façanha, o advogado do povo disse...

Para que servem as tropas do Exército, especialmente a da PE em Porto Alegre? Vão ficar dormindo nos quartéis, nesta quarta-feira negra? Conclame-as, Políbio!

Anônimo disse...

Aconselho o governante gaúcho procurar injeções de testosterona. Melhor, que renuncie ao cargo!

ganhatudo disse...

Enquanto tivermos servidores de primeira classe e de segunda classe ficará difícil achar solução. Porquê alguns (Judiciário, Legislativo, Ministério Público, TCE, Defensoria) recebem seus salários em dia, ou melhor dizer antecipadamente pois recebem antes do final do mês, e outros que recebem com atraso enorme ficará evidente a discriminação que não é só está pois também é na quantidade de pagamento.
Afinal não todos funcionários de um mesmo governo?
Afinal quem paga para todos não é o mesmo contribuinte?
Dirão alguns que são outros poderes, mas o caixa de onde saí o pagamento não é o mesmo?
Alguém, nesta história está sofrendo abuso de poder.

Anônimo disse...

Na corrupta Rio, a Força Nacional solicitou apoio da PM para fazer uma intervenção numa favela.
Mas, para a Rede Globo eles servem.

Alberto disse...

Fugir prá onde se tá todo mundo sem grana?

Anônimo disse...

Caro polibio. Cobrar do coitado do sartori é uma afronta. Pois ele nem imaginava que seria governador. Planejamento zero. Força de seguranca nacional e exercito nas ruas Nao4 resolve pois não terão fôlego. Menos de 30 dias estão de volta aos quartéis. Não esqueça. O cidadão de bem segue regras o bandido dita as regras.

Anônimo disse...

Se o editor que é ou foi filiado ao PMDB e votou no Sartori diz isso, quem sou eu para dizer o contrário. Ocorre que o editor, assim como a maciça população gaúcha não pode se queixar e sim apoiar o Governador. Projetos apoiando aumento de impostos, como a NÃO contratação de novos servidores da Segurança pública, arrocho e parcelamento salarial dos servidores, etc. São realidade, mesmo porque, o governador não fez promessas de campanha.
Assumam e embalem o governador que vcs elegeram por mais 2,5 anos, sem impedimento porque a atual oposição respeita as urnas. E que se fod......todos.

Anônimo disse...

A questão é muito mais grave. Há presos em delegacias cuja alimentação tem que ser bancada pelos policiais, agora sem condições para tal. Há delegacias e batalhões da BM com viaturas sem combustível. Há juízes em todo o estado soltando diariamente bandidos perigosos por falta de vagas em presídios
Há total falta de controle. Hoje qualquer vagabundo atira e mata por prazer é pela certeza da impunidade. Portanto. Se se deparar com uma situação de roubo ou furto procure manter a calma. Sua vida não vale nada. Se perceber que vai morrer, reaja. É sua única chance.
Boa sorte. Ainda vai piorar é muito.

Anônimo disse...

A QUE PONTO CHEGAMOS.QUERIAM TANTO A DEMOCRACIA,O PT FEZ DELA SEU SUSTENTO E HOJE O BRASIL ALÉM DE ESTAR NO FUNDO DO POÇO,NÃO EXISTE MAIS SEGURANÇA.COM A DITADURA NÃO EXISTIA ISSO.QUEM SE CUIDAVA ERA O BANDIDO MESMO OU AQUELES QUE OUSAVAM ENFRENTAR A LEI E A ORDEM.ESTE É LEGADO DA DEMOCRACIA AQUI NO BRASIL E DO PT.

PauloAG disse...

Não seria esse o momento para exonerar todos os não concursados, reduzir salários e servidores? Se a lei não permite, vamos muda-la! Quando se trata da iniciativa privada o estado é sempre o primeiro a alterar a legislação, quando se trata do setor público, tudo é acobertado pelo "direito adquirido". Ninguém precisa de um governo assim, gigantesco, trapalhão e vigarista, visto que cobra antecipadamente por serviços que promete e não entrega. Os servidores deveriam entender que receber com atraso é melhor do que estar desempregado. Se não gostam da situação, ponham o curriculum no mercado que ajudaram a destruir e avaliem o salário que poderiam ganhar. O mundo real é mais difícil do que o setor público.